Logotipo
Unionpédia
Comunicação
Disponível no Google Play
Novo! Faça o download do Unionpédia em seu dispositivo Android™!
Livre
Acesso mais rápido do que o navegador!
 

B'Tselem

Índice B'Tselem

B'Tselem (em hebraico: בצלם, "à imagem de", alusivo ao versículo 1:27 do Gênesis) é uma organização não governamental israelense.

14 relações: Analogia Israel-Apartheid, Batalha de Gaza (2007), Conflito árabe-israelense, Conflito israelo-palestino, Estado da Palestina, Israel, Jerusalém Oriental, Muro da Cisjordânia, Operação Chumbo Fundido, Operação Margem Protetora, Paz Agora, Plano de retirada unilateral de Israel, Segunda Intifada, Territórios ocupados por Israel.

Analogia Israel-Apartheid

O tratamento dado por Israel aos palestinos tem sido comparado a um sistema de segregação espacial e étnica, similar ao tratamento dispensado aos cidadãos não-brancos da África do Sul na era do ''apartheid''.

Novo!!: B'Tselem e Analogia Israel-Apartheid · Veja mais »

Batalha de Gaza (2007)

Batalha de Gaza refere-se aos confrontos ocorridos entre 12 e 14 de junho de 2007, entre as forças do Fatah e do Hamas, após as eleições de 2006.

Novo!!: B'Tselem e Batalha de Gaza (2007) · Veja mais »

Conflito árabe-israelense

O é um longo conflito no Oriente Médio.

Novo!!: B'Tselem e Conflito árabe-israelense · Veja mais »

Conflito israelo-palestino

O é a designação dada à luta armada entre israelenses e palestinos, sendo parte de um contexto maior, o conflito árabe-israelense.

Novo!!: B'Tselem e Conflito israelo-palestino · Veja mais »

Estado da Palestina

O Estado da Palestina (دولة فلسطين) é um Estado de jure que reivindica soberania sobre os territórios da Cisjordânia e da Faixa de Gaza e que designa Jerusalém Oriental como sua capital, apesar de seu centro administrativo estar localizado na cidade de Ramallah.

Novo!!: B'Tselem e Estado da Palestina · Veja mais »

Israel

Israel (יִשְׂרָאֵל,; إِسْرَائِيلُ), oficialmente Estado de Israel (מדינת ישראל, transl Medīnát Isra'él,; دولة إسرائيل), é uma democracia parlamentar localizada no Oriente Médio, ao longo da costa oriental do Mar Mediterrâneo.

Novo!!: B'Tselem e Israel · Veja mais »

Jerusalém Oriental

Fronteira do armistício de 1949 (Linha Verde) '''—''' Fronteira de Jerusalém Oriental'''—''' Fronteira anterior a 1967 Jerusalém Oriental com o Muro da Cisjordânia ao fundo Jerusalém Oriental (القدس الشرقية, al-Quds em árabe, מזרח ירושלים - Mizrach Yerushalaim em hebraico) é a parte leste da cidade de Jerusalém, atualmente sob domínio de Israel e reivindicada pela Autoridade Nacional Palestina para abrigar a capital do futuro estado palestino.

Novo!!: B'Tselem e Jerusalém Oriental · Veja mais »

Muro da Cisjordânia

O Muro da Cisjordânia é uma barreira física que está sendo construída pelo Estado de Israel, passando em torno e por dentro dos Territórios Palestinos Ocupados (Cisjordânia e Jerusalém Oriental).

Novo!!: B'Tselem e Muro da Cisjordânia · Veja mais »

Operação Chumbo Fundido

A Operação Chumbo Fundido (מבצע עופרת יצוקה; trans.: Mivtza Oferet Yetsuká, "chumbo fundido", também chamada, incorretamente, de "Operação Chumbo Grosso") é uma grande ofensiva militar das Forças de Defesa de Israel, realizada na Faixa de Gaza, partir do dia 27 de dezembro de 2008, sexto dia da festa judaica de Hanucá. Todavia, na maior parte do mundo árabe, a ação israelense é referida como Massacre de Gaza (مجزرة غزة)."Hamas slammed the silent and still Arab position on Gaza massacre" - "it's impossible to contain the Arab and Islamic world after the Gaza massacre" - "Diplomatic race to stop the Gazza massacre" - Libya calling the operation a "horrible massacre" - O ataque israelense ocorreu dias após o fim de um cessar-fogo, que vigorou por seis meses, - BBC Brasil, 17 de junho de 2008 - Folha Online, 7 de maio de 2008 conforme havia sido acordado entre o governo de Israel e representantes do Hamas, partido majoritário no Conselho Legislativo da Palestina e que controla a Faixa de Gaza. - BBC Brasil, 19 de dezembro de 2008 - Folha Online, 27 de dezembro de 2008 Como Israel não suspendeu o bloqueio à Faixa de Gaza e não cessou os ataques ao território palestino, The Guardian, 4 de novembro de 2008. militantes do Hamas anunciaram o encerramento oficial da trégua - Folha de S.Paulo, 15 de dezembro de 2008 - Folha Online, 19 de dezembro de 2008 e passaram a lançar foguetes caseiros, tipo Qassam, em direção ao sul do território israelense. - Folha Online, 17 de dezembro de 2008 - Folha Online, 21 de dezembro de 2008 - Folha Online, 21 de dezembro de 2008 Dias depois do anúncio do fim do cessar-fogo, o próprio grupo palestino ofereceu uma proposta para renovar a trégua, condicionando-a ao fim do bloqueio israelense ao território palestino. - Yedioth Ahronoth, 23 de dezembro de 2008 - BBC, 23 de dezembro de 2008 Todavia, já em 27 de dezembro de 2008, as Forças de Defesa de Israel iniciaram a sua mais intensa operação militar contra um território palestino desde a Guerra dos Seis Dias (1967). Oficialmente, o objetivo da operação era interromper os ataques de foguetes do Hamas contra o território israelense. - BBC Brasil, 27 de dezembro de 2008 - Folha Online, 28 de dezembro de 2008 - El País, 28 de dezembro de 2008 - O Estado de S. Paulo, 28 de dezembro de 2008 No primeiro dia da ofensiva militar, a força aérea israelense lançou, em um intervalo de quatro minutos, mais de cem bombas contra bases, escritórios e campos de treinamento do Hamas - Haaretz, 28 de dezembro de 2008 - The Jerusalem Post, 28 de dezembro de 2008 nas principais cidades da Faixa de Gaza, entre as quais Cidade de Gaza, Beit Hanoun, Khan Younis e Rafah. - Folha Online, 27 de dezembro de 2008 - O Estado de S. Paulo, 27 de dezembro de 2008 - El País, 27 de dezembro de 2008 - Al Jazeera, 27 de dezembro de 2008 - BBC, 28 de dezembro de 2008 - The Jerusalem Post, 28 de dezembro de 2008, Yedioth Ahronoth, 29 de dezembro de 2008 - Al Jazeera, 28 de dezembro de 2008 Também foram alvos de ataques a infraestrutura civil, incluindo casas, escolas e mesquitas; Israel disse que destes locais são disparados muitos dos foguetes palestinos ou servem para esconder munição, e portanto não seriam alvos civis. - The Boston Globe, 1 de janeiro de 2009 - The Guardian, 2 de janeiro de 2009 - The Jerusalem Post, 4 de janeiro de 2008 - The Seattle Times, 4 de janeiro de 2009 - San Francisco Chronicle, 5 de janeiro de 2009 - The Washington Post, 5 de janeiro de 2009 - McClatchy Newspapers, 5 de janeiro de 2009 A marinha israelense também reforçou o bloqueio e bombardeou alvos na Faixa de Gaza, o que resultou em um incidente com o barco de uma organização pacifista, que trazia ajuda médica para a população de Gaza. - Terra, 29 de dezembro de 2008 - G1, 29 de dezembro de 2008 - Haaretz, 30 de dezembro de 2008 - CNN, 30 de dezembro de 2008 - IAF, 30 de dezembro de 2008 Militantes do Hamas intensificaram os ataques de foguetes e morteiros em direção ao sul de Israel, - Folha Online, 30 de dezembro de 2008 atingindo cidades como Bersebá e Asdode. - Yedioth Ahronoth, 30 de dezembro de 2008 - Yedioth Ahronoth, 30 de dezembro de 2008 Na noite de 3 de janeiro de 2009, começou a ofensiva por terra, com tropas e tanques israelenses entrando no território palestino. - Folha Online, 3 de janeiro de 2009 Em 17 de janeiro, o primeiro-ministro israelense Ehud Olmert anunciou uma trégua unilateral, a vigorar a partir da madrugada do dia seguinte. - Folha Online, 17 de janeiro de 2009 O Hamas também anunciou um cessar-fogo imediato na Faixa de Gaza. O representante do grupo, Ayman Taha, afirmou que a trégua valeria por uma semana, para que os israelenses pudessem retirar suas tropas da região. - Folha Online, 19 de janeiro de 2009 O Exército de Israel declarou que retiraria suas tropas da Faixa de Gaza até a posse de Barack Obama na presidência dos Estados Unidos, no dia 20 de janeiro. - Folha Online, 19 de janeiro de 2009 Em 21 de janeiro, Israel completou a retirada de suas tropas da Faixa de Gaza. Em 1º de junho uma comissão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, chefiada pelo juiz sul-africano Richard Goldstone, chegou à Faixa de Gaza, para investigar possíveis violações dos direitos humanos durante a ofensiva israelense. Em 15 de setembro de 2009, a comissão apresentou seu relatório, concluindo que Israel "cometeu crimes de guerra e, possivelmente, contra a humanidade", e que "o plano visava, pelo menos em parte, a população de Gaza como um todo." O mesmo relatório reconheceu que o lançamento de foguetes pelos insurgentes palestinos também configura crime de guerra. Segundo a ONG israelense de direitos humanos B'Tselem, a Operação Chumbo Fundido resultou na morte de 1.387 palestinos, mais da metade deles civis. 773 deles não participaram nos combates, incluindo 320 jovens ou crianças (252 com menos de 16 anos) e 111 mulheres. Do lado de Israel, houve 13 mortos, sendo três deles por "fogo amigo".

Novo!!: B'Tselem e Operação Chumbo Fundido · Veja mais »

Operação Margem Protetora

A chamada Operação Margem Protetora (מִבְצָע צוּק אֵיתָן, Mivtza' Tzuk Eitan; الحرب على غزة 2014; também chamado al-Harb 'alaa Ġazzah, em português Guerra em Gaza de 2014) foi uma campanha militar lançada pelas Forças Armadas de Israel contra a Faixa de Gaza, governada pela organização palestina Hamas.

Novo!!: B'Tselem e Operação Margem Protetora · Veja mais »

Paz Agora

Paz agora (em hebraico: שלום עכשיו, translit. Shalom Arshav; também referido pela imprensa, em inglês, como Peace Now) é uma organização não governamental de esquerda sediada em Israel, cujo propósito declarado é alcançar a paz interna e externa para Israel.

Novo!!: B'Tselem e Paz Agora · Veja mais »

Plano de retirada unilateral de Israel

Acampamento israelense ao lado da Faixa de Gaza, após a retirada. O Plano de retirada unilateral de Israel (em hebraico: תוכנית ההנתקות ou תכנית ההתנתקות, translit. Tokhnit HaHinatkut ou Tokhnit HaHitnatkut), oficialmente, "Lei de Implementação do Plano de Retirada", foi uma proposta do primeiro ministro de Israel, Ariel Sharon, adoptada pelo governo e decretado em Agosto 2005, para remoção de toda presença permanente de Israel da Faixa de Gaza e de quatro colônias no norte da Cisjordânia.

Novo!!: B'Tselem e Plano de retirada unilateral de Israel · Veja mais »

Segunda Intifada

A Segunda Intifada ou Intifada Al-Aqsa (em árabe, إنتفاضة فلسطينية ثاني) designa o conjunto de eventos que marcou a revolta civil dos palestinos contra a política administrativa e a ocupação Israelense na região da Palestina a partir de setembro de 2000.

Novo!!: B'Tselem e Segunda Intifada · Veja mais »

Territórios ocupados por Israel

Os territórios ocupados por Israel são áreas que foram capturadas por Israel à Jordânia e à Síria durante a Guerra dos Seis Dias.

Novo!!: B'Tselem e Territórios ocupados por Israel · Veja mais »

Redireciona aqui:

B'tselem.

CessanteEntrada
Ei! Agora estamos em Facebook! »