Logotipo
Unionpédia
Comunicação
Disponível no Google Play
Novo! Faça o download do Unionpédia em seu dispositivo Android™!
Livre
Acesso mais rápido do que o navegador!
 

João de Barros

Índice João de Barros

João de Barros, chamado o Grande ou o Tito Lívio Português, (Viseu, c. 1496 — Pombal, Ribeira de Alitém, 20 de Outubro de 1570) é geralmente considerado o primeiro grande historiador português e pioneiro da gramática da língua portuguesa, tendo escrito a segunda obra a normatizar a língua, tal como falada em seu tempo.

71 relações: Açores, Aires da Cunha, Alentejo, Antilhas, Ásia, Índia, Brasil, Cabo Verde, Capitanias do Brasil, Capitães da Mina, Casa da Índia, Catalunha, Corregedor, Crónica do Imperador Clarimundo, Damião de Góis, Descobrimentos portugueses, Diogo do Couto, Elmina, Empório, Escriba, Espanha, Fernão de Oliveira, França, Gramática, Grammatica da Língua Portuguesa com os Mandamentos da Santa Madre Igreja, Grammatica da lingua portuguesa, Império Português, João Baptista Lavanha, João III de Portugal, Juan Luis Vives, Língua italiana, Língua portuguesa, Lisboa, Litém, Madeira, Madrid, Manuel Abranches de Soveral, Manuel I de Portugal, Maranhão, Novo Mundo, Peste negra, Pombal, Pombal (Portugal), Portugal, Renascimento, Rhopicapneuma, Rio Grande do Norte, Romances de cavalaria portugueses, Século XVIII, Sebastião I de Portugal, ..., Tito Lívio, Veneza, Viseu, 1496, 1521, 1525, 1528, 1530, 1532, 1534, 1536, 1539, 1552, 1553, 1563, 1568, 1570, 1615, 1778, 1788, 20 de outubro. Expandir índice (21 mais) »

Açores

Os Açores, oficialmente Região Autónoma dos Açores, são um arquipélago transcontinental e um território autónomo da República Portuguesa, situado no Atlântico nordeste, dotado de autonomia política e administrativa, consubstanciada no Estatuto Político-Administrativo da Região Autónoma dos Açores.

Novo!!: João de Barros e Açores · Veja mais »

Aires da Cunha

Aires da Cunha (Portugal, ? — litoral maranhense, 1536) foi um capitão donatário do Brasil.

Novo!!: João de Barros e Aires da Cunha · Veja mais »

Alentejo

O NUT II do Alentejo é uma região do centro-sul de Portugal.

Novo!!: João de Barros e Alentejo · Veja mais »

Antilhas

Mapa da região, em inglês. A América Central Insular ou Antilhas é a porção da América Central que se encontra dividida entre diversas ilhas.

Novo!!: João de Barros e Antilhas · Veja mais »

Ásia

Ásia é o maior dos continentes, tanto em área como em população.

Novo!!: João de Barros e Ásia · Veja mais »

Índia

Índia (भारत, Bhārat,; India), oficialmente denominada República da Índia (भारत गणराज्य, Bhārat Gaṇarājya; Republic of India), é um país da Ásia Meridional.

Novo!!: João de Barros e Índia · Veja mais »

Brasil

Brasil (pronuncia-se localmente A vocalização do no fim das sílabas geralmente só não acontece em dialetos influenciados pelos vizinhos falantes da língua castelhana, como na pampa rio-grandense – –, entretanto, em dialetos conservadores do interior do planalto, comumente referidos por caipira, o novo semivogal é um rótico retroflexo, fone herdado de línguas indígenas macro-jê, e não lábio-velar, daí, hoje muito menos comum por pressão sociolinguística da variedade de prestígio. Em todas, assume-se uma prosódia de conversa cotidiana. Em uma prosódia mais clara e formal, como a midiática, geralmente usa-se. Esta mudança de pronúncia da vogal átona pré-tônica não ocorre nas variedades de outros países falantes da língua portuguesa, que conservam a redução de para, para e para considerada mais coloquial no Brasil.), oficialmente República Federativa do Brasil, é o maior país da América do Sul e da região da América Latina, sendo o quinto maior do mundo em área territorial (equivalente a 47% do território sul-americano) e sexto em população (com mais de 200 milhões de habitantes).

Novo!!: João de Barros e Brasil · Veja mais »

Cabo Verde

Cabo Verde, oficialmente República de Cabo Verde, é um país insular localizado num arquipélago formado por dez ilhas vulcânicas na região central do Oceano Atlântico.

Novo!!: João de Barros e Cabo Verde · Veja mais »

Capitanias do Brasil

Mapa das Capitanias do Brasil (1534) As capitanias do Brasil foram uma forma de administração territorial da América portuguesa, parte do Império Português, pela qual a Coroa, com recursos limitados, delegou a tarefa de colonização e exploração de determinadas áreas.

Novo!!: João de Barros e Capitanias do Brasil · Veja mais »

Capitães da Mina

Lista do Capitães do Castelo de São Jorge da Mina.

Novo!!: João de Barros e Capitães da Mina · Veja mais »

Casa da Índia

A Casa da Índia foi uma organização portuguesa criada por volta de 1503 em Lisboa para administrar os territórios portugueses além mar, assim como todos os aspectos do comércio externo, navegação, desembarque e venda de mercadorias.

Novo!!: João de Barros e Casa da Índia · Veja mais »

Catalunha

Catalunha (Catalunya, Catalonha, Cataluña) é uma comunidade autônoma da Espanha localizada na extremidade leste da Península Ibérica.

Novo!!: João de Barros e Catalunha · Veja mais »

Corregedor

O corregedor era o magistrado administrativo e judicial que representava a Coroa em cada uma das comarcas de Portugal, durante o Antigo Regime.

Novo!!: João de Barros e Corregedor · Veja mais »

Crónica do Imperador Clarimundo

Crónica do imperador Clarimundo é um romance de cavalaria português, escrito por João de Barros e publicado pela primeira vez em Coimbra em 1522.

Novo!!: João de Barros e Crónica do Imperador Clarimundo · Veja mais »

Damião de Góis

Página de rosto da obra ''Urbis Olisiponis descriptio'' (1554). Damião de Góis (Alenquer, — Alenquer), historiador e humanista, epistológrafo, viajante, diplomata e alto funcionário régio, foi figura ímpar e uma das personalidades mais relevantes do Renascimento em Portugal.

Novo!!: João de Barros e Damião de Góis · Veja mais »

Descobrimentos portugueses

Os descobrimentos portugueses foram o conjunto de conquistas realizadas pelos portugueses em viagens e explorações marítimas entre 1415 e 1543 que começaram com a conquista de Ceuta em África.

Novo!!: João de Barros e Descobrimentos portugueses · Veja mais »

Diogo do Couto

Diogo do Couto (ca. — Goa) foi um historiador português com a função de guarda-mor da Torre do Tombo de Goa.

Novo!!: João de Barros e Diogo do Couto · Veja mais »

Elmina

Elmina é uma cidade que localiza-se em Gana, no golfo da Guiné, na costa ocidental da África.

Novo!!: João de Barros e Elmina · Veja mais »

Empório

Empório é um estabelecimento comercial onde se vendem víveres, como secos e molhados e demais itens necessários à manutenção de uma casa.

Novo!!: João de Barros e Empório · Veja mais »

Escriba

O escriba ou escrivão era aquele que na antiguidade dominava a escrita e a usava para, a mando do regente, redigir as normas do povo daquela região ou de uma determinada religião.

Novo!!: João de Barros e Escriba · Veja mais »

Espanha

Espanha (España), também conhecido como Reino de/da Espanha Reino de España é um país situado na Europa meridional, na Península Ibérica.

Novo!!: João de Barros e Espanha · Veja mais »

Fernão de Oliveira

Fernão de Oliveira, algumas vezes dito Fernando de Oliveira (Aveiro, 1507 Aveiro (Cumbraos), 1581), foi um frade, gramático, construtor bélico-naval renascentista, foi um dos expoentes renascentistas portugueses.

Novo!!: João de Barros e Fernão de Oliveira · Veja mais »

França

França (France; 10px ouça), oficialmente República Francesa (République française) é um país, ou, mais especificamente, um Estado unitário desconcentrado, localizado na Europa Ocidental, com várias ilhas e territórios ultramarinos noutros continentes.

Novo!!: João de Barros e França · Veja mais »

Gramática

Gramática (do grego: γραμματική, transl. grammatiké, feminino substantivado de grammatikós) designa um conjunto de regras que regem o uso de uma língua, especialmente o modo como as unidades desta se combinam entre si para formar unidades maiores.

Novo!!: João de Barros e Gramática · Veja mais »

Grammatica da Língua Portuguesa com os Mandamentos da Santa Madre Igreja

Frontispício da primeira edição da GrammaticaExemplar da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro A Grammatica da Língua Portuguesa com os Mandamentos da Santa Madre Igreja (original: ❧ GRAMMATICA DA lingua poꝛtugueſa com os mandamen‗tos da ſanta mádre igreja.) é uma obra didática de 1540, de autoria do escritor lusitano renascentista João de Barros.

Novo!!: João de Barros e Grammatica da Língua Portuguesa com os Mandamentos da Santa Madre Igreja · Veja mais »

Grammatica da lingua portuguesa

A Gramatica da lingua portuguesa é uma gramática da autoria do pedagogo português João de Barros, publicada originalmente em 1540.

Novo!!: João de Barros e Grammatica da lingua portuguesa · Veja mais »

Império Português

O Império Português ou Império Colonial Português foi o primeiro império global da história, sendo considerado o mais antigo dos impérios coloniais europeus modernos, abrangendo quase seis séculos de existência, a partir da Conquista de Ceuta, em 1415, até a devolução da soberania sobre Macau à China.

Novo!!: João de Barros e Império Português · Veja mais »

João Baptista Lavanha

João Baptista Lavanha (Lisboa, c. 1550 - Madrid, 31 de Março de 1624) foi um engenheiro, matemático e cosmógrafo português.

Novo!!: João de Barros e João Baptista Lavanha · Veja mais »

João III de Portugal

João III (Lisboa, – Lisboa), apelidado de "o Piedoso" e "o Colonizador", foi o Rei de Portugal e Algarves de 1521 até sua morte.

Novo!!: João de Barros e João III de Portugal · Veja mais »

Juan Luis Vives

Juan Luis Vives (Valência, 6 de março de 1493 — Bruges, 6 de maio de 1540) de seu nome Joan Lluís Vives March (em catalão) e Ioannes Lodovicus Vives (em latim), foi um humanista de origem judaica nascido em Valência.

Novo!!: João de Barros e Juan Luis Vives · Veja mais »

Língua italiana

Italiano ou língua italiana é uma língua românica, a segunda mais próxima do latim em termos de vocabulário, depois do sardenho.

Novo!!: João de Barros e Língua italiana · Veja mais »

Língua portuguesa

A língua portuguesa, também designada português, é uma língua românica flexiva ocidental originada no galego-português falado no Reino da Galiza e no norte de Portugal.

Novo!!: João de Barros e Língua portuguesa · Veja mais »

Lisboa

Lisboa GCTE é a capital de Portugal e a cidade mais populosa do país.

Novo!!: João de Barros e Lisboa · Veja mais »

Litém

Litém é um nome comum a duas freguesias do concelho de Pombal.

Novo!!: João de Barros e Litém · Veja mais »

Madeira

A madeira é um material produzido a partir do tecido formado pelas plantas lenhosas com funções de sustentação mecânica.

Novo!!: João de Barros e Madeira · Veja mais »

Madrid

Madrid ou Madri (apenas em português brasileiro) (Madrid) é a capital e a maior cidade da Espanha.

Novo!!: João de Barros e Madrid · Veja mais »

Manuel Abranches de Soveral

Manuel Abranches de Soveral (Vila Nova de Gaia, Mafamude, 1953) é um escritor, investigador, jornalista, professor e editor português.

Novo!!: João de Barros e Manuel Abranches de Soveral · Veja mais »

Manuel I de Portugal

Manuel I (Alcochete, – Lisboa), apelidado de "o Afortunado","O Venturoso" e "o Bem-Aventurado", foi o Rei de Portugal e Algarves de 1495 até à sua morte.

Novo!!: João de Barros e Manuel I de Portugal · Veja mais »

Maranhão

Maranhão é uma das 27 unidades federativas do Brasil.

Novo!!: João de Barros e Maranhão · Veja mais »

Novo Mundo

Um mapa da América do século XVIII Novo Mundo é um dos nomes dados ao hemisfério ocidental, mais especificamente ao continente americano.

Novo!!: João de Barros e Novo Mundo · Veja mais »

Peste negra

Peste negra (ou Morte negra) é o nome pela qual ficou conhecida uma das mais devastadoras pandemias na história humana, resultando na morte de 75 a 200 milhões de pessoas na Eurásia.

Novo!!: João de Barros e Peste negra · Veja mais »

Pombal

* Pombal (edifício) — edifício para a criação de pombos.

Novo!!: João de Barros e Pombal · Veja mais »

Pombal (Portugal)

Pombal é uma cidade portuguesa pertencente ao distrito de Leiria, na província da Beira Litoral, região do Centro (Região das Beiras) e sub-região do Pinhal Litoral, com cerca de habitantes.

Novo!!: João de Barros e Pombal (Portugal) · Veja mais »

Portugal

Portugal, oficialmente República Portuguesa, é um país soberano unitário localizado no sudoeste da Europa, cujo território se situa na zona ocidental da Península Ibérica e em arquipélagos no Atlântico Norte. O território português tem uma área total de, sendo delimitado a norte e leste por Espanha e a sul e oeste pelo oceano Atlântico, compreendendo uma parte continental e duas regiões autónomas: os arquipélagos dos Açores e da Madeira. Portugal é a nação mais a ocidente do continente europeu. O nome do país provém da sua segunda maior cidade, Porto, cujo nome latino-celta era Portus Cale. O território dentro das fronteiras atuais da República Portuguesa tem sido continuamente povoado desde os tempos pré-históricos: ocupado por celtas, como os galaicos e os lusitanos, foi integrado na República Romana e mais tarde colonizado por povos germânicos, como os suevos e os visigodos. No século VIII, as terras foram conquistadas pelos mouros. Durante a Reconquista cristã foi formado o Condado Portucalense,  estabelecido no século XI por Vímara Peres, um vassalo do rei das Astúrias. O condado tornou-se parte do Reino de León em 1097, e os condes de Portugal estabeleceram-se como governantes independentes do reino no século XII, após a batalha de São Mamede. Com o estabelecimento do Reino de Portugal em 1139, cuja independência foi reconhecida em 1143. Em 1297 foram definidas as fronteiras no tratado de Alcanizes, tornando Portugal no mais antigo Estado-nação da Europa. Nos séculos XV e XVI, como resultado de pioneirismo na Era dos Descobrimentos (ver: descobrimentos portugueses), Portugal expandiu a influência ocidental e estabeleceu um império que incluía possessões na África, Ásia, Oceânia e América do Sul, tornando-se a potência económica, política e militar mais importante de todo o mundo. O Império Português foi o primeiro império global da História e também o mais duradouro dos impérios coloniais europeus, abrangendo quase 600 anos de existência, desde a conquista de Ceuta em 1415, até à transferência de soberania de Macau para a China em 1999. No entanto, a importância internacional do país foi bastante reduzida durante o século XIX, especialmente após a independência do Brasil, a sua maior colónia. Com a Revolução de 1910, a monarquia terminou, tendo desde 1139 até 1910, 34 monarcas. A Primeira República Portuguesa foi muito instável, devido ao elevado parlamentarismo. O regime deu lugar à ditadura militar devido a um levantamento em 28 de maio de 1926. Em 1933, um novo regime autoritário, o Estado Novo, presidido por Salazar até 1968, geriu o país até 25 de abril de 1974. A democracia representativa foi instaurada após a Revolução dos Cravos, em 1974, que terminou a Guerra Colonial Portuguesa. As províncias ultramarinas de Portugal tornaram-se independentes, sendo as mais proeminentes Angola e Moçambique. Portugal é um país desenvolvido, com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) considerado como muito elevado. O país foi classificado na 19.ª posição em qualidade de vida (em 2005), tem um dos melhores sistemas de saúde do planeta e é, também, uma das nações mais globalizadas e pacíficas do mundo. É membro da Organização das Nações Unidas (ONU), da União Europeia (incluindo a Zona Euro e o Espaço Schengen), da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Portugal também participa em diversas missões de manutenção de paz das Nações Unidas.

Novo!!: João de Barros e Portugal · Veja mais »

Renascimento

homem vitruviano'' de Leonardo da Vinci sintetiza o ideário renascentista humanista e clássico Renascimento, Renascença ou Renascentismo são os termos usados para identificar o período da história da Europa aproximadamente entre meados do e o fim do.

Novo!!: João de Barros e Renascimento · Veja mais »

Rhopicapneuma

Rhopicapneuma ou Mercadoria Espiritual é um diálogo moral escrito por João de Barros em 1532 que foi colocada no "index" da Inquisição, sendo proibida a sua divulgação.

Novo!!: João de Barros e Rhopicapneuma · Veja mais »

Rio Grande do Norte

Rio Grande do Norte é uma das 27 unidades federativas do Brasil.

Novo!!: João de Barros e Rio Grande do Norte · Veja mais »

Romances de cavalaria portugueses

Os romances de cavalaria foram um gênero literário de grande sucesso em Portugal nos séculos XV e XVI, de jeito paralelo aos romances de cavalaria espanhóis da mesma época.

Novo!!: João de Barros e Romances de cavalaria portugueses · Veja mais »

Século XVIII

O século XVIII iniciou no dia 1 de Janeiro de 1701 e acabou no dia 31 de Dezembro de 1800, segundo o Calendário gregoriano.

Novo!!: João de Barros e Século XVIII · Veja mais »

Sebastião I de Portugal

Sebastião (Lisboa, – Alcácer-Quibir), apelidado de "o Desejado" e "o Adormecido", foi o Rei de Portugal e Algarves de 1557 até sua morte.

Novo!!: João de Barros e Sebastião I de Portugal · Veja mais »

Tito Lívio

Tito Lívio (em latim: Titus Livius; Pádua, c. — Pádua), conhecido simplesmente como Lívio, é o autor da obra histórica intitulada Ab urbe condita ("Desde a fundação da cidade"), onde tenta relatar a história de Roma desde o momento tradicional da sua fundação até ao início do da Era Cristã, mencionando desde os reis de Roma, tanto os primeiros como os Tarquínios.

Novo!!: João de Barros e Tito Lívio · Veja mais »

Veneza

Veneza (Venezia, em vêneto: Venexia) é uma cidade no nordeste da Itália situada sobre um grupo de 117 pequenas ilhas separadas por canais e ligadas por pontes.

Novo!!: João de Barros e Veneza · Veja mais »

Viseu

Viseu é uma cidade portuguesa do distrito homónimo, situada na província da Beira Alta, região centro e sub-região do Dão-Lafões, com cerca de 68000 habitantes, sendo a segunda maior cidade da região do Centro de Portugal depois de Coimbra.

Novo!!: João de Barros e Viseu · Veja mais »

1496

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XV do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram G e F (52 semanas), teve início a uma segunda-feira e terminou a uma terça-feira.

Novo!!: João de Barros e 1496 · Veja mais »

1521

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi F (52 semanas), teve início a uma terça-feira e terminou também a uma terça-feira.

Novo!!: João de Barros e 1521 · Veja mais »

1525

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi A (52 semanas), teve início a um domingo e terminou também a um domingo.

Novo!!: João de Barros e 1525 · Veja mais »

1528

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram E e D (53 semanas), teve início a uma quarta-feira e terminou a uma quinta-feira.

Novo!!: João de Barros e 1528 · Veja mais »

1530

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi B (52 semanas), teve início a um sábado e terminou também a um sábado.

Novo!!: João de Barros e 1530 · Veja mais »

1532

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do do calendário juliano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram G e F (52 semanas), teve início numa segunda-feira e terminou numa terça-feira.

Novo!!: João de Barros e 1532 · Veja mais »

1534

(na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi D (53 semanas), teve início a uma quinta-feira e terminou também a uma quinta-feira.

Novo!!: João de Barros e 1534 · Veja mais »

1536

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram B e A (52 semanas), teve início a um sábado e terminou a um domingo.

Novo!!: João de Barros e 1536 · Veja mais »

1539

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi E (52 semanas), teve início a uma quarta-feira, terminou também a uma quarta-feira.

Novo!!: João de Barros e 1539 · Veja mais »

1552

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram C e B (52 semanas), teve início a uma sexta-feira e terminou a um sábado.

Novo!!: João de Barros e 1552 · Veja mais »

1553

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi A (52 semanas), teve início a um domingo e terminou também a um domingo.

Novo!!: João de Barros e 1553 · Veja mais »

1563

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi C (52 semanas), teve início a uma sexta-feira e terminou também a uma sexta-feira.

Novo!!: João de Barros e 1563 · Veja mais »

1568

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram D e C (53 semanas), teve início a uma quinta-feira e terminou a uma sexta-feira.

Novo!!: João de Barros e 1568 · Veja mais »

1570

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi A (52 semanas), teve início a um domingo e terminou também a um domingo.

Novo!!: João de Barros e 1570 · Veja mais »

1615

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVII do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi D (53 semanas), teve início a uma quinta-feira e terminou também a uma quinta-feira.

Novo!!: João de Barros e 1615 · Veja mais »

1778

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVIII do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi D (53 semanas), teve início a uma quinta-feira e terminou também a uma quinta-feira.

Novo!!: João de Barros e 1778 · Veja mais »

1788

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XVIII do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram F e E (52 semanas), teve início a uma terça-feira e terminou a uma quarta-feira.

Novo!!: João de Barros e 1788 · Veja mais »

20 de outubro

Sem descrição

Novo!!: João de Barros e 20 de outubro · Veja mais »

Redireciona aqui:

João de Barros (1496), João de barros, João de barros (1496), O Tito Lívio Português.

CessanteEntrada
Ei! Agora estamos em Facebook! »