Logotipo
Unionpédia
Comunicação
Disponível no Google Play
Novo! Faça o download do Unionpédia em seu dispositivo Android™!
Livre
Acesso mais rápido do que o navegador!
 

Cerco de Santarém (1184)

Índice Cerco de Santarém (1184)

O Cerco de Santarém foi uma dos episódios da reconquista, durando de Junho a Julho de 1184.

23 relações: Abu Iacube Iúçufe, Afonso I de Portugal, Ali ibne Iúçufe, Badajoz, Besta (arma), Califado Almóada, Emir, Estreito de Gibraltar, Fernando II de Leão, Império Almorávida, Julho, Junho, Lisboa, Papa Alexandre III, Portugal, Reconquista, Reino de Leão, Reino de Portugal, Santarém (Portugal), Sevilha, 1179, 1184, 29 de julho.

Abu Iacube Iúçufe

Abu Iacube Iúçufe ibne Abde Almumine (abū ya`qūb yūsuf ben `abd al-mū'min; 1135 - 29 de Julho de 1184), melhor conhecido somente como Abu Iacube Iúçufe ou Iúçufe I, foi o segundo califa do Califado Almóada de Marrocos, governando de 1163 até seu falecimento em 1184.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Abu Iacube Iúçufe · Veja mais »

Afonso I de Portugal

Afonso I (–), também chamado de Afonso Henriques, e apelidado de "o Conquistador", foi o primeiro Rei de Portugal de 1139 até sua morte, anteriormente servindo como Conde de Portucale de 1112 até sua independência do Reino da Galiza.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Afonso I de Portugal · Veja mais »

Ali ibne Iúçufe

Ali ibne Iúçufe ibn Taxifine/Taxufine (Ali ibn Yusuf ibn Tashfin; علي بن يوسف; m. 1143) ou Ali ben Yūsuf ben Tāxufīn, ou, ainda, Ali ibn-Yusuf ibn-Tachfin, filho de Iúçufe ibne Taxufine, foi o segundo emir da dinastia dos almorávidas, de 1106 a 1143.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Ali ibne Iúçufe · Veja mais »

Badajoz

Praça Alta Badajoz é uma cidade e município raiano da Espanha na província homónima, da qual é capital. Faz parte da comunidade autónoma da Estremadura e da comarca da Terra de Badajoz. Tem de área e em tinha habitantes, que representa aproximadamente 20% da população da província e 7% da Estremadura. Batizada pelos seus fundadores muçulmanos Batalyaws (ﺑﻂﻠﻴﻮﺱ), a sua designação em português vernáculo era Badalhouce até ao período da dinastia filipina, um termo que persiste ainda hoje em galego. Além de ser a maior cidade da Estremadura, é também o principal centro económico da região. Situa-se a um par de quilómetros da fronteira com a cidade portuguesa de Elvas, à beira do rio Guadiana, um dos rios mais importantes da Península Ibérica, que atravessa a cidade de leste para oeste, virando em seguida para sul. Apesar da dimensão do município ser bastante menor do que no passado, Badajoz é o terceiro maior município de Espanha em área, a seguir a Cáceres e Lorca. Tem 10 núcleos populacionais, dentre os quais se destacam, além da cidade, Gévora, Valdebótoa e Villafranco del Guadiana, todos com mais de mil habitantes. A cidade foi fundada em 892 por Ibne Maruane, durante a ocupação muçulmana da Península Ibérica, num local habitado desde os tempos pré-históricos mais remotos e sobre um povoado visigodo já então desaparecido ou pelo menos muito degradado, no cimo de uma das duas colinas que dominam a cidade: o Cabeço da Muela ou o Cabeço do Montúrio. Em frente, na margem direita do Guadiana, situam-se as Cuestas (encostas) de Orinaza ou Cerro de San Cristóbal, também conhecidas antigamente como Baxernal ou Baxarnal. A fundação da cidade é comemorada pelos seus habitantes, denominados pacenses, na festa Almossasa Batalyaws, realizada em finais de setembro. A parte mais antiga da cidade é chamada Casco Antigo ou bairro histórico. Aí se encontram vários edifícios classificados como "Bem de Interesse Cultural", nomeadamente a catedral, a alcáçova, as muralhas de estilo Vauban, a Igreja de São Domingos e o Real Mosteiro de Santa Ana. Na década de 2000, a Praça Alta (Plaza Alta) e a Praça de Espanha, dois dos locais mais emblemáticos de Badajoz, foram restauradas em larga escala. A última é onde se encontra o ayuntamiento, a catedral, o Arquivo Histórico Municipal, o Museu Catedralício, a Casa del Cordón e a Casa Buiza. Outra praça importante em termos de património é a da Soledad, onde se encontram edifícios como a La Giralda, Las Tres Campnas e o Conservatório de Música. A quarta praça monumental da cidade é a de San Andrés, onde se situam a igreja homónima, o Hotel Cervantes a Casa Regionalista e a Casa Puebla. A cidade dispõe de vários parques e jardins.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Badajoz · Veja mais »

Besta (arma)

A besta (pronuncia-se bésta), balestra ou balesta (derivações do latim tardio ballista) é uma arma com aspecto semelhante ao de uma espingarda, com um arco de flechas adaptado a uma das extremidades de uma haste e acionado por um gatilho, o qual projeta virotes - dardos similares a flechas, porém mais curtos.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Besta (arma) · Veja mais »

Califado Almóada

O Califado Almóada (ou Almôada, ou Almôade) foi uma potência religiosa berbere governada pela quinta dinastia moura, tendo se destacado do até meados do.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Califado Almóada · Veja mais »

Emir

Emir ou amir (termo que, em língua árabe, significa "comandante") é um título de nobreza, equivalente no Ocidente a príncipe, sendo historicamente usado nas nações islâmicas do Médio Oriente e Norte de África.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Emir · Veja mais »

Estreito de Gibraltar

O estreito de Gibraltar é uma separação natural entre o Mar Mediterrâneo e o Oceano Atlântico, e entre dois continentes - Europa e África.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Estreito de Gibraltar · Veja mais »

Fernando II de Leão

Fernando II de Leão e Galiza (c. 1137 - Benavente, 21 de janeiro de 1188), foi rei de Leão e da Galiza de 1157 a 1188.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Fernando II de Leão · Veja mais »

Império Almorávida

Almorávidas (al-Murābiṭūn, sing. مرابط, Murābiṭ, "marabuto", espécie de ermitão muçulmano) foram originariamente uns monges-soldados saídos de grupos nómadas provenientes do Saara.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Império Almorávida · Veja mais »

Julho

Julho é o sétimo mês do ano no Calendário gregoriano, tendo a duração de 31 dias.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Julho · Veja mais »

Junho

Junho é o sexto mês do calendário gregoriano e tem 30 dias.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Junho · Veja mais »

Lisboa

Lisboa GCTE é a capital de Portugal e a cidade mais populosa do país.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Lisboa · Veja mais »

Papa Alexandre III

Alexandre III, nascido Rolando Bandinelli (Siena, ca. 1100 — Civita Castellana, 30 de agosto de 1181) foi Papa de 1159 até 1181.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Papa Alexandre III · Veja mais »

Portugal

Portugal, oficialmente República Portuguesa, é um país soberano unitário localizado no sudoeste da Europa, cujo território se situa na zona ocidental da Península Ibérica e em arquipélagos no Atlântico Norte. O território português tem uma área total de, sendo delimitado a norte e leste por Espanha e a sul e oeste pelo oceano Atlântico, compreendendo uma parte continental e duas regiões autónomas: os arquipélagos dos Açores e da Madeira. Portugal é a nação mais a ocidente do continente europeu. O nome do país provém da sua segunda maior cidade, Porto, cujo nome latino-celta era Portus Cale. O território dentro das fronteiras atuais da República Portuguesa tem sido continuamente povoado desde os tempos pré-históricos: ocupado por celtas, como os galaicos e os lusitanos, foi integrado na República Romana e mais tarde colonizado por povos germânicos, como os suevos e os visigodos. No século VIII, as terras foram conquistadas pelos mouros. Durante a Reconquista cristã foi formado o Condado Portucalense,  estabelecido no século XI por Vímara Peres, um vassalo do rei das Astúrias. O condado tornou-se parte do Reino de León em 1097, e os condes de Portugal estabeleceram-se como governantes independentes do reino no século XII, após a batalha de São Mamede. Com o estabelecimento do Reino de Portugal em 1139, cuja independência foi reconhecida em 1143. Em 1297 foram definidas as fronteiras no tratado de Alcanizes, tornando Portugal no mais antigo Estado-nação da Europa. Nos séculos XV e XVI, como resultado de pioneirismo na Era dos Descobrimentos (ver: descobrimentos portugueses), Portugal expandiu a influência ocidental e estabeleceu um império que incluía possessões na África, Ásia, Oceânia e América do Sul, tornando-se a potência económica, política e militar mais importante de todo o mundo. O Império Português foi o primeiro império global da História e também o mais duradouro dos impérios coloniais europeus, abrangendo quase 600 anos de existência, desde a conquista de Ceuta em 1415, até à transferência de soberania de Macau para a China em 1999. No entanto, a importância internacional do país foi bastante reduzida durante o século XIX, especialmente após a independência do Brasil, a sua maior colónia. Com a Revolução de 1910, a monarquia terminou, tendo desde 1139 até 1910, 34 monarcas. A Primeira República Portuguesa foi muito instável, devido ao elevado parlamentarismo. O regime deu lugar à ditadura militar devido a um levantamento em 28 de maio de 1926. Em 1933, um novo regime autoritário, o Estado Novo, presidido por Salazar até 1968, geriu o país até 25 de abril de 1974. A democracia representativa foi instaurada após a Revolução dos Cravos, em 1974, que terminou a Guerra Colonial Portuguesa. As províncias ultramarinas de Portugal tornaram-se independentes, sendo as mais proeminentes Angola e Moçambique. Portugal é um país desenvolvido, com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) considerado como muito elevado. O país foi classificado na 19.ª posição em qualidade de vida (em 2005), tem um dos melhores sistemas de saúde do planeta e é, também, uma das nações mais globalizadas e pacíficas do mundo. É membro da Organização das Nações Unidas (ONU), da União Europeia (incluindo a Zona Euro e o Espaço Schengen), da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Portugal também participa em diversas missões de manutenção de paz das Nações Unidas.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Portugal · Veja mais »

Reconquista

Reconquista é o processo histórico em que os reinos cristãos da Península Ibérica procuraram dominar a região durante o período do Alandalus.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Reconquista · Veja mais »

Reino de Leão

O Reino de Leão foi um dos antigos reinos ibéricos surgidos no período da reconquista cristã sendo independente durante três períodos: de 910 a 1037 (sob domínio da casa Leonesa), de 1065 a 1072 (sob o domínio da casa de Navarra) e de 1157 a 1230 (sob o domínio da casa da Borgonha).

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Reino de Leão · Veja mais »

Reino de Portugal

O Reino de Portugal era a denominação de Portugal sob a governação de um regime monárquico, e no início ainda sem o reino dos Algarves.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Reino de Portugal · Veja mais »

Santarém (Portugal)

Santarém OTE • MHL é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Santarém, situada na província do Ribatejo e na região do Alentejo, com 29 929 habitantes no seu perímetro urbano (2012).

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Santarém (Portugal) · Veja mais »

Sevilha

Sevilha (em espanhol: Sevilla) é uma cidade espanhola situada a sudoeste da Península Ibérica, é a capital da Província de Sevilha e situa-se na Comunidade Autónoma da Andaluzia.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e Sevilha · Veja mais »

1179

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi G (52 semanas), teve início numa segunda-feira e terminou também numa segunda-feira.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e 1179 · Veja mais »

1184

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram A e G (52 semanas), teve início a um domingo e terminou a uma segunda-feira.

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e 1184 · Veja mais »

29 de julho

Sem descrição

Novo!!: Cerco de Santarém (1184) e 29 de julho · Veja mais »

Redireciona aqui:

Batalha de Santarém.

CessanteEntrada
Ei! Agora estamos em Facebook! »