Logotipo
Unionpédia
Comunicação
Disponível no Google Play
Novo! Faça o download do Unionpédia em seu dispositivo Android™!
Faça o download
Acesso mais rápido do que o navegador!
 

Castelo de Abrantes

Índice Castelo de Abrantes

O Castelo de Abrantes, também referido como Fortaleza de Abrantes, no Ribatejo, localiza-se nas freguesias de São João e São Vicente, povoação e concelho de Abrantes, distrito de Santarém, em Portugal.

98 relações: Abrantes, Abu Iúçufe Iacube Almançor, Afonso I de Portugal, Afonso III de Portugal, Alvenaria, André Masséna, Arcada, Arco, Arquitetura românica em Portugal, Arte gótica, Azulejo, Évora, Baluarte, Barroco, Batalha de Aljubarrota, Califado Almóada, Castelo, Castro, Cônsul (Roma Antiga), Classificação do património em Portugal, Conquista romana da Península Ibérica, Crise de 1383–1385 em Portugal, Cristianismo, Década de 1960, Década de 1970, Décimo Júnio Bruto Galaico, Dinastia filipina, Dinis I de Portugal, Diogo Fernandes de Almeida, Distrito de Santarém, Duque de Abrantes, Enfiteuse, Escultura, Guerra Peninsular, Idade Média, Invasão muçulmana da Península Ibérica, Islão, Jardim, Jean-Andoche Junot, João I de Portugal, Linha do Tejo, Linhas de Torres Vedras, Manuel I de Portugal, Marquês de Alorna, Miradouro, Morro, Muralha, Napoleão Bonaparte, Ordem dos Templários, Parapeito, ..., Pedro II de Portugal, Península Ibérica, Planta (geometria descritiva), Portugal, Pré-história, Reconquista, Reino de Castela, Restauração da Independência, Ribatejo, Rio Tejo, Sancho I de Portugal, São João (Abrantes), São Vicente (Abrantes), Sébastien Le Prestre de Vauban, Século XII, Século XIII, Século XIX, Século XV, Século XVI, Século XVII, Século XVIII, Século XX, Sevilha, Túmulo, Torre, Torre de menagem, Vão, Visigodos, 1118, 1148, 1179, 1191, 1250, 130 a.C., 1300, 1303, 1510, 1530, 1531, 1704, 1792, 1799, 1807, 1808, 1810, 1957, 2002, 22 de novembro. Expandir índice (48 mais) »

Abrantes

Abrantes é uma cidade portuguesa pertencente ao distrito de Santarém, na província do Ribatejo, região do Centro (Região das Beiras) e sub-região do Médio Tejo, com cerca de habitantes.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Abrantes · Veja mais »

Abu Iúçufe Iacube Almançor

Abu Iúçufe Iacube Almançor (Abū Yūssuf Yaʿqūb bin al-Manṣūr; 1160 - 23 de janeiro de 1199), por vezes conhecido somente como Iacube I ou Almançor, foi o terceiro califa do Califado Almóada de Marrocos.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Abu Iúçufe Iacube Almançor · Veja mais »

Afonso I de Portugal

Afonso I (–), também chamado de Afonso Henriques, e apelidado de "o Conquistador", foi o primeiro Rei de Portugal de 1139 até sua morte, anteriormente servindo como Conde de Portucale de 1112 até sua independência do Reino da Galiza.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Afonso I de Portugal · Veja mais »

Afonso III de Portugal

Afonso III (Coimbra, – Alcobaça), apelidado de "o Bolonhês" por seu casamento com Matilde II, Condessa de Bolonha, foi o Rei de Portugal de 1248 até sua morte, e também o primeiro monarca português a utilizar o título de Rei de Algarve.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Afonso III de Portugal · Veja mais »

Alvenaria

Alvenaria é a construção de estruturas e de paredes utilizando unidades unidas entre si ou não por argamassa.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Alvenaria · Veja mais »

André Masséna

André Masséna (Nice, —) foi um militar francês.

Novo!!: Castelo de Abrantes e André Masséna · Veja mais »

Arcada

Ala Norte do Terreiro do Paço, Lisboa. Uma arcada (ou arcaria) é formada por uma sequência de arcos, em geral formando um plano divisor de espaços, os quais assentam-se em colunas.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Arcada · Veja mais »

Arco

O termo arco, do latim arcus, designa um elemento construtivo em curva que é arredondado, normalmente em alvenaria, que emoldura a parte superior de um vão (abertura, passagem) ou reentrância suportando o peso vertical do muro em que se encontra.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Arco · Veja mais »

Arquitetura românica em Portugal

A Arquitetura românica em Portugal, tal como o românico em toda a Europa, tinha como principal função a construção de castelos, fortificações e também igrejas.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Arquitetura românica em Portugal · Veja mais »

Arte gótica

A arte gótica designa uma fase da história da arte ocidental, identificável por características muito próprias de contexto social, político e religioso em conjugação com valores estéticos e filosóficos e que surge como resposta à austeridade do estilo românico.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Arte gótica · Veja mais »

Azulejo

O termo azulejo designa uma peça de cerâmica de pouca espessura, geralmente, quadrada, em que uma das faces é vidrada, resultado da cozedura de um revestimento geralmente denominado como esmalte, que se torna impermeável e brilhante.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Azulejo · Veja mais »

Évora

Évora OTE é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Évora, na região do Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com 49 252 habitantes, em 2011.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Évora · Veja mais »

Baluarte

Planta de um baluarte de orelhões. Cinco baluartes regulares do corpo principal da Fortaleza de Bourtange, Países Baixos. Baluartes duplos da Praça-forte de Valença, Portugal. Um baluarte (do provençal baloart, do neerlandês bolwerk) ou bastião (do francês bastion) - em arquitetura militar - é uma obra defensiva, situada nas esquinas e avançada em relação à estrutura principal de uma fortificação abaluartada.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Baluarte · Veja mais »

Barroco

Pietro da Cortona: ''O triunfo da Divina Providência'', 1633-1639. Afresco em teto do Palazzo Barberini, Roma Barroco é o estilo artístico que floresceu entre o final do e meados do, inicialmente na Itália, difundindo-se em seguida pelos países católicos da Europa e da América, antes de atingir, em uma forma modificada, as áreas protestantes e alguns pontos do Oriente.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Barroco · Veja mais »

Batalha de Aljubarrota

A Batalha de Aljubarrota decorreu no final da tarde de 14 de agosto de 1385 entre tropas portuguesas com aliados ingleses, comandadas por D. João I de Portugal e o seu condestável D. Nuno Álvares Pereira, e o exército castelhano e seus aliados liderados por D. João I de Castela.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Batalha de Aljubarrota · Veja mais »

Califado Almóada

O Califado Almóada (ou Almôada, ou Almôade) foi uma potência religiosa berbere governada pela quinta dinastia moura, tendo se destacado do até meados do.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Califado Almóada · Veja mais »

Castelo

O Alcázar de Segóvia, localizado na Espanha, com vista para a cidade homônima O Castelo de Bodiam, cercado por um fosso preenchido por água XV Castelo (castellum) é um tipo de estrutura fortificada, construída na Europa e Oriente Médio durante a Idade Média pelos nobres europeus.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Castelo · Veja mais »

Castro

Castro são as ruínas ou restos arqueológicos de um tipo de povoado da Idade do Cobre e da Idade do Ferro característico das montanhas do noroeste da Península Ibérica, na Europa.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Castro · Veja mais »

Cônsul (Roma Antiga)

Um cônsul era o mais alto cargo político da República Romana e o consulado era o mais alto posto do cursus honorum, a ordem sequencial dos cargos públicos pelos quais os políticos deveriam passar durante sua carreira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Cônsul (Roma Antiga) · Veja mais »

Classificação do património em Portugal

O património edificado em Portugal obedece a regras precisas de classificação e protecção, definidas pela Direção-Geral do Património Cultural, nomeadamente nas vertentes histórica, cultural, estética, social, técnica e científica.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Classificação do património em Portugal · Veja mais »

Conquista romana da Península Ibérica

povos pré-romanos a divisão original das províncias da Hispânia Citerior e Hispânia Ulterior. A conquista romana da Península Ibérica iniciou-se no contexto da Segunda Guerra Púnica, quando as legiões romanas, sob o comando do cônsul Cneu Cornélio Cipião Calvo, para ali se movimentaram taticamente, a fim de atacar pela retaguarda os domínios de Cartago na região.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Conquista romana da Península Ibérica · Veja mais »

Crise de 1383–1385 em Portugal

A Crise de 1383–1385 foi um período de guerra civil e na História de Portugal, também conhecido como Interregno, uma vez que não existia rei no poder.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Crise de 1383–1385 em Portugal · Veja mais »

Cristianismo

Cristianismo (do grego Xριστός, "Christós", messias, ungido, do heb. משיח "Mashiach") é uma religião abraâmica monoteístaO status do cristianismo como religião monoteísta é confirmado, entre outras fontes, na Catholic Encyclopedia (artigo ""); William F. Albright, From the Stone Age to Christianity; H. Richard Niebuhr; About.com,; Kirsch, God Against the Gods; Woodhead, An Introduction to Christianity; The Columbia Electronic Encyclopedia; The New Dictionary of Cultural Literacy,; New Dictionary of Theology,, pp.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Cristianismo · Veja mais »

Década de 1960

A década de 1960, também referida como anos 1960 ou ainda anos 60, compreende o período de tempo entre os dias 1 de janeiro de 1960 e 31 de dezembro de 1969.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Década de 1960 · Veja mais »

Década de 1970

A década de 1970, também referida como anos 1970 ou ainda anos 70, compreende o período de tempo entre 1º de janeiro de 1970 e 31 de dezembro de 1979.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Década de 1970 · Veja mais »

Décimo Júnio Bruto Galaico

Décimo Júnio Bruto Galaico (Decimus Iunius Brutus Callaicus) foi um político da gente Júnia da República Romana eleito cônsul em com Públio Cornélio Cipião Násica Serapião.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Décimo Júnio Bruto Galaico · Veja mais »

Dinastia filipina

A dinastia filipina ou dinastia de Habsburgo (igualmente conhecida por terceira dinastia, dinastia dos Áustrias, dinastia de Espanha, dinastia dos Filipes ou União Ibérica) foi a dinastia real que reinou em Portugal durante o período de união pessoal entre este país e a Espanha, isto é, em que o Rei de Espanha era simultaneamente o Rei de Portugal.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Dinastia filipina · Veja mais »

Dinis I de Portugal

Dinis I, O Lavrador ou O Poeta nasceu em Lisboa no dia e morreu em Santarém no dia), foi Rei de Portugal e do Algarve de 1279 até sua morte. Era o filho mais velho do rei Afonso III e sua segunda esposa Beatriz de Castela. Em 1282 desposou Isabel de Aragão, que ficaria conhecida como Rainha Santa. Ao longo de 46 anos de reinado, foi um dos principais responsáveis pela criação da identidade nacional e o alvor da consciência de Portugal enquanto estado-nação: em 1297, após a conclusão da Reconquista pelo seu pai, definiu as fronteiras de Portugal no Tratado de Alcanizes, prosseguiu relevantes reformas judiciais, instituiu a língua portuguesa como língua oficial da corte, criou a primeira Universidade portuguesa, libertou as Ordens Militares no território nacional de influências estrangeiras e prosseguiu um sistemático acréscimo do centralismo régio. A sua política centralizadora foi articulada com importantes acções de fomento económico - como a criação de inúmeros concelhos e feiras. D. Dinis ordenou a exploração de minas de cobre, prata, estanho e ferro e organizou a exportação da produção excedente para outros países europeus. Em 1308 assinou o primeiro acordo comercial português com a Inglaterra. Em 1312 fundou a marinha Portuguesa, nomeando 1º Almirante de Portugal, o genovês Manuel Pessanha, e ordenando a construção de várias docas. Foi grande amante das artes e letras. Tendo sido um famoso trovador, cultivou as Cantigas de Amigo, de Amor e a sátira, contribuindo para o desenvolvimento da poesia trovadoresca na Península Ibérica. Pensa-se ter sido o primeiro monarca português verdadeiramente alfabetizado, tendo assinado sempre com o nome completo. Foi o responsável pela criação da primeira Universidade portuguesa, inicialmente instalada em Lisboa e depois para Coimbra. Entre 1320 e 1324 houve uma guerra civil que opôs o rei ao futuro Afonso IV. Este julgava que o pai pretendia dar o trono a Afonso Sanches. Nesta guerra, o rei contou com pouco apoio popular, pois nos últimos anos de reinado deu grandes privilégios aos nobres. O infante contou com o apoio dos concelhos. Apesar dos motivos da revolta, esta guerra foi no fundo um conflito entre grandes e pequenos. Após a sua morte, em 1325 foi sucedido pelo seu filho legítimo, Afonso IV de Portugal, apesar da oposição do seu favorito, filho natural Afonso Sanches.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Dinis I de Portugal · Veja mais »

Diogo Fernandes de Almeida

*Diogo Fernandes de Almeida, alcaide-mor de Abrantes, vedor da fazenda de D. João I e alcaide-mor de Abrantes.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Diogo Fernandes de Almeida · Veja mais »

Distrito de Santarém

Santarém é um distrito de Portugal pertencente às regiões do Alentejo, sub-região da Lezíria do Tejo, e região do Centro, sub-região do Médio Tejo.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Distrito de Santarém · Veja mais »

Duque de Abrantes

Foram criados três títulos independentes de Duque de Abrantes, dos quais só o primeiro a seguir indicado foi reconhecido em Portugal.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Duque de Abrantes · Veja mais »

Enfiteuse

Enfiteuse (do grego emphúteusis,eós "enxerto, implantação", através do latim tardio emphyteusis,is, "enfiteuse, arrendamento enfitêutico") ou arrendamento enfitêutico é um instituto jurídico originário do Direito Romano.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Enfiteuse · Veja mais »

Escultura

Vénus de Milo, Louvre. Escultura é uma arte que representa ou ilustra imagens plásticas em relevo total ou parcial.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Escultura · Veja mais »

Guerra Peninsular

A Guerra Peninsular (1807–1814) foi um conflito militar entre o Primeiro Império Francês e os seus aliados do Império Espanhol, contra a aliança do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda e do Reino de Portugal e Algarves pelo domínio da Península Ibérica durante as Guerras Napoleónicas.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Guerra Peninsular · Veja mais »

Idade Média

p.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Idade Média · Veja mais »

Invasão muçulmana da Península Ibérica

A invasão islâmica da península Ibérica, também referida como invasão muçulmana, conquista árabe ou expansão muçulmana, refere-se a uma série de deslocamentos militares e populacionais ocorridos a partir de 711, e até 726, quando tropas islâmicas oriundas do Norte de África, sob o comando do general berbere Tárique, cruzaram o estreito de Gibraltar, penetraram na península Ibérica, e venceram Rodrigo, o último rei dos Visigodos da Hispânia, na batalha de Guadalete.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Invasão muçulmana da Península Ibérica · Veja mais »

Islão

Islamismo, (Islām), é uma religião abraâmica monoteísta articulada pelo Alcorão, um texto considerado pelos seus seguidores como a palavra literal de Deus (Alá, Allāh), e pelos ensinamentos e exemplos normativos (a chamada suna, parte do hádice) de Maomé, considerado pelos fiéis como o último profeta de Deus.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Islão · Veja mais »

Jardim

Um dos famosos Jardins de Butchart, na Colúmbia Britânica. Um jardim é um espaço planejado, normalmente ao ar livre, para a exibição, cultivação e apreciação de plantas, flores e outras formas de natureza, existindo pelo menos desde os egípcios.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Jardim · Veja mais »

Jean-Andoche Junot

Jean-Andoche Junot, 1.° Duque de Abrantes (Bussy-le-Grand, — Montbard), chamado de "a Tempestade", foi um militar francês, coronel-general dos Hussardos.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Jean-Andoche Junot · Veja mais »

João I de Portugal

João I de Portugal (Lisboa, – Lisboa), conhecido como o Mestre de Avis e apelidado de "o de Boa Memória", foi o rei de Portugal e dos Algarves de 1385 até sua morte, sendo o primeiro monarca português da Casa de Avis.

Novo!!: Castelo de Abrantes e João I de Portugal · Veja mais »

Linha do Tejo

A chamada Linha do Tejo foi uma linha defensiva raiana do reino de Portugal, entregue aos Templários pelos primeiros reis portugueses, na época da Reconquista, durante a Baixa Idade Média.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Linha do Tejo · Veja mais »

Linhas de Torres Vedras

As Linhas de Torres Vedras. As Linhas de Torres Vedras, ou simplesmente Linhas de Torres e ainda Linhas de Defesa a Norte de Lisboa são o conjunto de 152 fortificações e outros trabalhos defensivos, construídas entre 1809 e 1812, situados na península de Lisboa.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Linhas de Torres Vedras · Veja mais »

Manuel I de Portugal

Manuel I (Alcochete, – Lisboa), apelidado de "o Afortunado","O Venturoso" e "o Bem-Aventurado", foi o Rei de Portugal e Algarves de 1495 até à sua morte.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Manuel I de Portugal · Veja mais »

Marquês de Alorna

Marquês de Alorna foi um título criado por D. João V de Portugal, por carta de 9 de Novembro de 1748, a favor de D. Pedro Miguel de Almeida, 3.º conde de Assumar e, desde 1748, marquês de Castelo Novo.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Marquês de Alorna · Veja mais »

Miradouro

Mangabeiras, em Belo Horizonte, Brasil. Um miradouro ou mirante é um local elevado de onde se descortina um panorama.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Miradouro · Veja mais »

Morro

Morro, colina ou cerro é um acidente geográfico caracterizado por pequena elevação de terreno com decline suave.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Morro · Veja mais »

Muralha

Uma muralha (ou valo), em arquitetura militar, é uma estrutura essencialmente defensiva numa fortificação.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Muralha · Veja mais »

Napoleão Bonaparte

Napoleão Bonaparte (Napoléon Bonaparte; Ajaccio, 15 de agosto de 1769 – Santa Helena, 5 de maio de 1821) foi um líder político e militar durante os últimos estágios da Revolução Francesa.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Napoleão Bonaparte · Veja mais »

Ordem dos Templários

A Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão ("Ordo Pauperum Commilitonum Christi Templique Salominici"), conhecida como Cavaleiros Templários, Ordem do Templo (Ordre du Temple ou Templiers) ou simplesmente como Templários, foi uma ordem militar de Cavalaria.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Ordem dos Templários · Veja mais »

Parapeito

Telhado da Capela do King's College (Cambridge) exibe um elaborado parapeito. Parapeito (do italiano parapetto) é uma espécie de parede como barreira, que se ergue até a altura do peito, situado à extremidade de um telhado ou edifício.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Parapeito · Veja mais »

Pedro II de Portugal

Pedro II (Lisboa, – Alcântara), apelidado de "o Pacífico", foi o Rei de Portugal e Algarves de 1683 até sua morte, anteriormente servindo como regente de seu irmão o rei Afonso VI a partir de 1668 até sua ascensão ao trono.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Pedro II de Portugal · Veja mais »

Península Ibérica

A Península Ibérica está situada no sudoeste da Europa.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Península Ibérica · Veja mais »

Planta (geometria descritiva)

Planta é o nome que se dá à projeção de um objeto, ou de um espaço arquitetônico, que foi cortado por um plano secante, a fim de mostrar o seu interior.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Planta (geometria descritiva) · Veja mais »

Portugal

Portugal, oficialmente República Portuguesa, é um país soberano unitário localizado no sudoeste da Europa, cujo território se situa na zona ocidental da Península Ibérica e em arquipélagos no Atlântico Norte. O território português tem uma área total de, sendo delimitado a norte e leste por Espanha e a sul e oeste pelo oceano Atlântico, compreendendo uma parte continental e duas regiões autónomas: os arquipélagos dos Açores e da Madeira. Portugal é a nação mais a ocidente do continente europeu. O nome do país provém da sua segunda maior cidade, Porto, cujo nome latino-celta era Portus Cale. O território dentro das fronteiras atuais da República Portuguesa tem sido continuamente povoado desde os tempos pré-históricos: ocupado por celtas, como os galaicos e os lusitanos, foi integrado na República Romana e mais tarde colonizado por povos germânicos, como os suevos e os visigodos. No século VIII, as terras foram conquistadas pelos mouros. Durante a Reconquista cristã foi formado o Condado Portucalense,  estabelecido no século XI por Vímara Peres, um vassalo do rei das Astúrias. O condado tornou-se parte do Reino de León em 1097, e os condes de Portugal estabeleceram-se como governantes independentes do reino no século XII, após a batalha de São Mamede. Com o estabelecimento do Reino de Portugal em 1139, cuja independência foi reconhecida em 1143. Em 1297 foram definidas as fronteiras no tratado de Alcanizes, tornando Portugal no mais antigo Estado-nação da Europa. Nos séculos XV e XVI, como resultado de pioneirismo na Era dos Descobrimentos (ver: descobrimentos portugueses), Portugal expandiu a influência ocidental e estabeleceu um império que incluía possessões na África, Ásia, Oceânia e América do Sul, tornando-se a potência económica, política e militar mais importante de todo o mundo. O Império Português foi o primeiro império global da História e também o mais duradouro dos impérios coloniais europeus, abrangendo quase 600 anos de existência, desde a conquista de Ceuta em 1415, até à transferência de soberania de Macau para a China em 1999. No entanto, a importância internacional do país foi bastante reduzida durante o século XIX, especialmente após a independência do Brasil, a sua maior colónia. Com a Revolução de 1910, a monarquia terminou, tendo desde 1139 até 1910, 34 monarcas. A Primeira República Portuguesa foi muito instável, devido ao elevado parlamentarismo. O regime deu lugar à ditadura militar devido a um levantamento em 28 de maio de 1926. Em 1933, um novo regime autoritário, o Estado Novo, presidido por Salazar até 1968, geriu o país até 25 de abril de 1974. A democracia representativa foi instaurada após a Revolução dos Cravos, em 1974, que terminou a Guerra Colonial Portuguesa. As províncias ultramarinas de Portugal tornaram-se independentes, sendo as mais proeminentes Angola e Moçambique. Portugal é um país desenvolvido, com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) considerado como muito elevado. O país foi classificado na 19.ª posição em qualidade de vida (em 2005), tem um dos melhores sistemas de saúde do planeta e é, também, uma das nações mais globalizadas e pacíficas do mundo. É membro da Organização das Nações Unidas (ONU), da União Europeia (incluindo a Zona Euro e o Espaço Schengen), da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Portugal também participa em diversas missões de manutenção de paz das Nações Unidas.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Portugal · Veja mais »

Pré-história

A pré-história corresponde ao período da história que antecede a invenção da escrita, desde o começo dos tempos históricos registrados até aproximadamente em É estudada pela antropologia, arqueologia e paleontologia.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Pré-história · Veja mais »

Reconquista

Reconquista é o processo histórico em que os reinos cristãos da Península Ibérica procuraram dominar a região durante o período do Alandalus.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Reconquista · Veja mais »

Reino de Castela

O Reino de Castela foi um dos antigos reinos da Península Ibérica formados durante a Reconquista.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Reino de Castela · Veja mais »

Restauração da Independência

A Restauração da Independência, mais precisamente A Restauração de Portugal como país soberano, é o nome que se dá ao golpe de estado revolucionário ocorrido a, chefiado por um grupo designado de Os Quarenta Conjurados e que se alastrou por todo o Reino, pela revolta dos portugueses contra a tentativa da anulação da independência do Reino de Portugal pela governação da dinastia filipina castelhana.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Restauração da Independência · Veja mais »

Ribatejo

O Ribatejo é uma província histórica de Portugal instituída pela reforma administrativa de 1936 Ribatejo in Artigos de apoio Infopédia.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Ribatejo · Veja mais »

Rio Tejo

O rio Tejo (em espanhol: Tajo) é o rio mais extenso da Península Ibérica.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Rio Tejo · Veja mais »

Sancho I de Portugal

Sancho I (Coimbra, – Santarém), apelidado de Sancho, o Povoador, foi o Rei de Portugal de 1185 até sua morte.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Sancho I de Portugal · Veja mais »

São João (Abrantes)

São João foi uma freguesia portuguesa do concelho de Abrantes, na província do Ribatejo, região do Centro (Região das Beiras) e sub-região do Médio Tejo, com 2,21 km² de área e 1 699 habitantes (2011).

Novo!!: Castelo de Abrantes e São João (Abrantes) · Veja mais »

São Vicente (Abrantes)

São Vicente foi uma freguesia portuguesa do concelho de Abrantes, na província do Ribatejo, região do Centro (Região das Beiras) e sub-região do Médio Tejo, com de área e habitantes (2011).

Novo!!: Castelo de Abrantes e São Vicente (Abrantes) · Veja mais »

Sébastien Le Prestre de Vauban

Sébastien Le Prestre, marquês de Vauban, também conhecido por Sébastien Le Prestre de Vauban (Saint-Léger-Vauban, – Paris) foi um arquiteto militar francês, introdutor do chamado estilo Vauban de fortificação.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Sébastien Le Prestre de Vauban · Veja mais »

Século XII

O século XII começou em 1 de Janeiro de 1101 e terminou em 31 de Dezembro de 1200.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Século XII · Veja mais »

Século XIII

Sem descrição

Novo!!: Castelo de Abrantes e Século XIII · Veja mais »

Século XIX

O século XIX começou no dia 1 de janeiro de 1801 e terminou no dia 31 de dezembro de 1900.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Século XIX · Veja mais »

Século XV

O Século XV foi o século do calendário Juliano de 1401 até 1500.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Século XV · Veja mais »

Século XVI

O Século XVI começou no calendário Juliano no ano 1501 e terminou no calendário Juliano e Gregoriano no ano 1600.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Século XVI · Veja mais »

Século XVII

O século XVII durou de 1601 a 1700 no Calendário Gregoriano.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Século XVII · Veja mais »

Século XVIII

O século XVIII iniciou no dia 1 de Janeiro de 1701 e acabou no dia 31 de Dezembro de 1800, segundo o Calendário gregoriano.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Século XVIII · Veja mais »

Século XX

O Século XX iniciou em 1° de janeiro de 1901 e terminou em 31 de dezembro de 2000.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Século XX · Veja mais »

Sevilha

Sevilha (em espanhol: Sevilla) é uma cidade espanhola situada a sudoeste da Península Ibérica, é a capital da Província de Sevilha e situa-se na Comunidade Autónoma da Andaluzia.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Sevilha · Veja mais »

Túmulo

Um túmulo é o lugar onde as pessoas são colocadas quando morrem.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Túmulo · Veja mais »

Torre

A torre (do latim "turris"), em arquitectura e engenharia, é uma estrutura em que a altura é bastante superior à largura, apresentando uma demarcada verticalidade.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Torre · Veja mais »

Torre de menagem

Castelo de Almourol, Portugal (fins do séc. XII): a torre de menagem quadrangular destaca-se no interior da cintura de muralhas. A torre de menagem, em arquitectura militar, é a estrutura central de um castelo medieval, definida como o seu principal ponto de poder e último reduto de defesa, podendo em alguns casos servir de recinto habitacional do castelo.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Torre de menagem · Veja mais »

Vão

Vão é o termo utilizado em engenharia e arquitetura para designar a distância entre dois apoios consecutivos de uma estrutura, como uma ponte, um tabuleiro, uma viga, um cabo elétrico, etc.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Vão · Veja mais »

Visigodos

Os visigodos foram um de dois ramos em que se dividiram os godos, um povo germânico originário do leste europeu, sendo o outro os ostrogodos.

Novo!!: Castelo de Abrantes e Visigodos · Veja mais »

1118

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi F (52 semanas), teve início a uma terça-feira e terminou também a uma terça-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1118 · Veja mais »

1148

1148 (na numeração romana) foi um ano bissexto do do calendário juliano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram D e C (53 semanas), teve início a uma quinta-feira e terminou a uma sexta-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1148 · Veja mais »

1179

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi G (52 semanas), teve início numa segunda-feira e terminou também numa segunda-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1179 · Veja mais »

1191

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi F (52 semanas), teve início a uma terça-feira e terminou também a uma terça-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1191 · Veja mais »

1250

---- 1250 (na numeração romana) foi um ano comum do século XIII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi B (52 semanas), teve início a um sábado e terminou também a um sábado.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1250 · Veja mais »

130 a.C.

Sem descrição

Novo!!: Castelo de Abrantes e 130 a.C. · Veja mais »

1300

---- 1300 (na numeração romana) foi um ano bissexto, o último ano do século XIII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram C e B (52 semanas), teve início a uma sexta-feira e terminou a um sábado.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1300 · Veja mais »

1303

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XIV do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi F (52 semanas), teve início a uma terça-feira e terminou também a uma terça-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1303 · Veja mais »

1510

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi F (52 semanas), teve início a uma terça-feira e terminou também a uma terça-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1510 · Veja mais »

1530

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi B (52 semanas), teve início a um sábado e terminou também a um sábado.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1530 · Veja mais »

1531

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi A (52 semanas), teve início a um domingo e terminou também a um domingo.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1531 · Veja mais »

1704

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XVIII do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram F e E (52 semanas), teve início a uma terça-feira e terminou a uma quarta-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1704 · Veja mais »

1792

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XVIII do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram A e G (52 semanas), teve início a um domingo e terminou a uma segunda-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1792 · Veja mais »

1799

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVIII do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi F (52 semanas), teve início a uma terça-feira e terminou também a uma terça-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1799 · Veja mais »

1807

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XIX do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi D (53 semanas), teve início a uma quinta-feira e terminou também a uma quinta-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1807 · Veja mais »

1808

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XIX do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram C e B (52 semanas), teve início a uma sexta-feira e terminou a um sábado.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1808 · Veja mais »

1810

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XIX do Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi G (52 semanas), teve início numa segunda-feira e terminou também numa segunda-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1810 · Veja mais »

1957

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XX do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi F (52 semanas), teve início a uma terça-feira e terminou também a uma terça-feira.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 1957 · Veja mais »

2002

Foi designado como.

Novo!!: Castelo de Abrantes e 2002 · Veja mais »

22 de novembro

Sem descrição

Novo!!: Castelo de Abrantes e 22 de novembro · Veja mais »

Redireciona aqui:

Castelo de abrantes, Fortaleza de Abrantes, Fortaleza de abrantes, Praça de Abrantes.

CessanteEntrada
Ei! Agora estamos em Facebook! »