Logotipo
Unionpédia
Comunicação
Disponível no Google Play
Novo! Faça o download do Unionpédia em seu dispositivo Android™!
Faça o download
Acesso mais rápido do que o navegador!
 

Castelo de Évora

Índice Castelo de Évora

O Castelo de Évora, no Alentejo, localiza-se na cidade e Distrito de mesmo nome, em Portugal.

88 relações: Abu Iúçufe Iacube Almançor, Afonso I de Portugal, Afonso IV de Portugal, Afonso V de Portugal, Alentejo, Algarbe Alandalus, Arco, Arqueologia, Arraiolos, Arte gótica, Évora, Barbacã, Batalha do Salado, Califado Almóada, Cerca medieval de Évora, Classificação do património em Portugal, Conde de Cambridge, Conquista romana da Península Ibérica, Convento do Monte Calvário, Crónica de el-rei D. João I, Crise de 1383–1385 em Portugal, Cristianismo, Cubelo, Dinis I de Portugal, Distrito de Évora, Ducado de Lencastre, Ebora, Eduardo III de Inglaterra, Fernando I de Portugal, Fernão Lopes, Fosso, Geraldo sem Pavor, Gonçalo Vasques de Azevedo, Guerra da Restauração, Guerra Peninsular, Idade Média, Imposto, Júlio César, João de Áustria, João I de Portugal, Leonor Teles, Lista de alcaides de Évora, Louis Henri Loison, Mármore, Moeda, Muralhas de Évora (da cerca romana e árabe), Ordem de Calatrava, Ordem de São Bento de Avis, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, Património Mundial, ..., Pedro I de Portugal, Ponte, Porta, Porta de Aviz, Portugal, Pré-história, Reconquista, Reino de Castela, Rio Tejo, Sancho I de Portugal, Sé Catedral de Évora, Século IV, Século XVI, Sebastião I de Portugal, Templo romano de Évora, Torre, Visigodos, 1159, 1165, 1181, 1191, 1340, 1373, 1382, 14 de abril, 1445, 1449, 1571, 1663, 1845, 1880, 1922, 1945, 1986, 1993, 2005, 24 de junho, 4 de julho. Expandir índice (38 mais) »

Abu Iúçufe Iacube Almançor

Abu Iúçufe Iacube Almançor (Abū Yūssuf Yaʿqūb bin al-Manṣūr; 1160 - 23 de janeiro de 1199), por vezes conhecido somente como Iacube I ou Almançor, foi o terceiro califa do Califado Almóada de Marrocos.

Novo!!: Castelo de Évora e Abu Iúçufe Iacube Almançor · Veja mais »

Afonso I de Portugal

Afonso I (–), também chamado de Afonso Henriques, e apelidado de "o Conquistador", foi o primeiro Rei de Portugal de 1139 até sua morte, anteriormente servindo como Conde de Portucale de 1112 até sua independência do Reino da Galiza.

Novo!!: Castelo de Évora e Afonso I de Portugal · Veja mais »

Afonso IV de Portugal

Afonso IV (Lisboa, – Lisboa), apelidado de Afonso, o Bravo, foi o Rei de Portugal e Algarve de 1325 até sua morte.

Novo!!: Castelo de Évora e Afonso IV de Portugal · Veja mais »

Afonso V de Portugal

Afonso V (Sintra, – Lisboa), apelidado de "o Africano" por suas conquistas na África, foi o Rei de Portugal e Algarves de 1438 até sua morte.

Novo!!: Castelo de Évora e Afonso V de Portugal · Veja mais »

Alentejo

O NUT II do Alentejo é uma região do centro-sul de Portugal.

Novo!!: Castelo de Évora e Alentejo · Veja mais »

Algarbe Alandalus

A Península Ibérica em 750 O Algarbe ou Garbe Alandalus era a parte mais ocidental do Alandalus, que corresponde a parte do actual território português.

Novo!!: Castelo de Évora e Algarbe Alandalus · Veja mais »

Arco

O termo arco, do latim arcus, designa um elemento construtivo em curva que é arredondado, normalmente em alvenaria, que emoldura a parte superior de um vão (abertura, passagem) ou reentrância suportando o peso vertical do muro em que se encontra.

Novo!!: Castelo de Évora e Arco · Veja mais »

Arqueologia

romano em Alexandria, Egito. Arqueologia é a ciência que estuda as culturas e os modos de vida das diferentes sociedades humanas - do passado e presente - a partir da análise de vestígios materiais.

Novo!!: Castelo de Évora e Arqueologia · Veja mais »

Arraiolos

Arraiolos é uma vila portuguesa situada no Distrito de Évora, região Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com 3 386 habitantes (2012).

Novo!!: Castelo de Évora e Arraiolos · Veja mais »

Arte gótica

A arte gótica designa uma fase da história da arte ocidental, identificável por características muito próprias de contexto social, político e religioso em conjugação com valores estéticos e filosóficos e que surge como resposta à austeridade do estilo românico.

Novo!!: Castelo de Évora e Arte gótica · Veja mais »

Évora

Évora OTE é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Évora, na região do Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com 49 252 habitantes, em 2011.

Novo!!: Castelo de Évora e Évora · Veja mais »

Barbacã

A barbacã (do latim medieval "barbacana"), em arquitectura militar, é um muro anteposto às muralhas, de menor altura do que estas, com a função de proteger as muralhas dos impactos da artilharia.

Novo!!: Castelo de Évora e Barbacã · Veja mais »

Batalha do Salado

A Batalha do Salado foi travada a 30 de outubro de 1340, entre cristãos e mouros, junto da ribeira do Salado, na província de Cádis (sul de Espanha).

Novo!!: Castelo de Évora e Batalha do Salado · Veja mais »

Califado Almóada

O Califado Almóada (ou Almôada, ou Almôade) foi uma potência religiosa berbere governada pela quinta dinastia moura, tendo se destacado do até meados do.

Novo!!: Castelo de Évora e Califado Almóada · Veja mais »

Cerca medieval de Évora

A cerca medieval de Évora, também referida como cerca nova de Évora ou muralhas fernandinas de Évora, refere-se às muralhas da cidade de Évora erigidas por D. Afonso IV e D. Fernando I. Localizam-se na freguesia da Santo Antão, na cidade de Évora, em Portugal.

Novo!!: Castelo de Évora e Cerca medieval de Évora · Veja mais »

Classificação do património em Portugal

O património edificado em Portugal obedece a regras precisas de classificação e protecção, definidas pela Direção-Geral do Património Cultural, nomeadamente nas vertentes histórica, cultural, estética, social, técnica e científica.

Novo!!: Castelo de Évora e Classificação do património em Portugal · Veja mais »

Conde de Cambridge

Conde de Cambridge é o título de nobreza do Pariato da Inglaterra, criado em 1362 sendo associado intimamente com a família real britânica.

Novo!!: Castelo de Évora e Conde de Cambridge · Veja mais »

Conquista romana da Península Ibérica

povos pré-romanos a divisão original das províncias da Hispânia Citerior e Hispânia Ulterior. A conquista romana da Península Ibérica iniciou-se no contexto da Segunda Guerra Púnica, quando as legiões romanas, sob o comando do cônsul Cneu Cornélio Cipião Calvo, para ali se movimentaram taticamente, a fim de atacar pela retaguarda os domínios de Cartago na região.

Novo!!: Castelo de Évora e Conquista romana da Península Ibérica · Veja mais »

Convento do Monte Calvário

O Convento de Santa Helena do Monte Calvário, conhecido popularmente por Convento do Calvário, fica situado na Rua Cândido dos Reis (antiga Rua da Lagoa), junto à muralha da cerca nova, na freguesia de Santo Antão, na cidade de Évora.

Novo!!: Castelo de Évora e Convento do Monte Calvário · Veja mais »

Crónica de el-rei D. João I

A Crónica d’El Rei D. João I, foi escrita em 1443 pelo cronista Fernão Lopes, por incumbência do Rei D. Duarte.

Novo!!: Castelo de Évora e Crónica de el-rei D. João I · Veja mais »

Crise de 1383–1385 em Portugal

A Crise de 1383–1385 foi um período de guerra civil e na História de Portugal, também conhecido como Interregno, uma vez que não existia rei no poder.

Novo!!: Castelo de Évora e Crise de 1383–1385 em Portugal · Veja mais »

Cristianismo

Cristianismo (do grego Xριστός, "Christós", messias, ungido, do heb. משיח "Mashiach") é uma religião abraâmica monoteístaO status do cristianismo como religião monoteísta é confirmado, entre outras fontes, na Catholic Encyclopedia (artigo ""); William F. Albright, From the Stone Age to Christianity; H. Richard Niebuhr; About.com,; Kirsch, God Against the Gods; Woodhead, An Introduction to Christianity; The Columbia Electronic Encyclopedia; The New Dictionary of Cultural Literacy,; New Dictionary of Theology,, pp.

Novo!!: Castelo de Évora e Cristianismo · Veja mais »

Cubelo

Um cubelo (de cubo ou cuba), em arquitectura militar, designa um torreão de planta circular ou semi-circular, com a função de reforço de uma muralha numa cerca ou num castelo medieval.

Novo!!: Castelo de Évora e Cubelo · Veja mais »

Dinis I de Portugal

Dinis I, O Lavrador ou O Poeta nasceu em Lisboa no dia e morreu em Santarém no dia), foi Rei de Portugal e do Algarve de 1279 até sua morte. Era o filho mais velho do rei Afonso III e sua segunda esposa Beatriz de Castela. Em 1282 desposou Isabel de Aragão, que ficaria conhecida como Rainha Santa. Ao longo de 46 anos de reinado, foi um dos principais responsáveis pela criação da identidade nacional e o alvor da consciência de Portugal enquanto estado-nação: em 1297, após a conclusão da Reconquista pelo seu pai, definiu as fronteiras de Portugal no Tratado de Alcanizes, prosseguiu relevantes reformas judiciais, instituiu a língua portuguesa como língua oficial da corte, criou a primeira Universidade portuguesa, libertou as Ordens Militares no território nacional de influências estrangeiras e prosseguiu um sistemático acréscimo do centralismo régio. A sua política centralizadora foi articulada com importantes acções de fomento económico - como a criação de inúmeros concelhos e feiras. D. Dinis ordenou a exploração de minas de cobre, prata, estanho e ferro e organizou a exportação da produção excedente para outros países europeus. Em 1308 assinou o primeiro acordo comercial português com a Inglaterra. Em 1312 fundou a marinha Portuguesa, nomeando 1º Almirante de Portugal, o genovês Manuel Pessanha, e ordenando a construção de várias docas. Foi grande amante das artes e letras. Tendo sido um famoso trovador, cultivou as Cantigas de Amigo, de Amor e a sátira, contribuindo para o desenvolvimento da poesia trovadoresca na Península Ibérica. Pensa-se ter sido o primeiro monarca português verdadeiramente alfabetizado, tendo assinado sempre com o nome completo. Foi o responsável pela criação da primeira Universidade portuguesa, inicialmente instalada em Lisboa e depois para Coimbra. Entre 1320 e 1324 houve uma guerra civil que opôs o rei ao futuro Afonso IV. Este julgava que o pai pretendia dar o trono a Afonso Sanches. Nesta guerra, o rei contou com pouco apoio popular, pois nos últimos anos de reinado deu grandes privilégios aos nobres. O infante contou com o apoio dos concelhos. Apesar dos motivos da revolta, esta guerra foi no fundo um conflito entre grandes e pequenos. Após a sua morte, em 1325 foi sucedido pelo seu filho legítimo, Afonso IV de Portugal, apesar da oposição do seu favorito, filho natural Afonso Sanches.

Novo!!: Castelo de Évora e Dinis I de Portugal · Veja mais »

Distrito de Évora

O distrito de Évora é um distrito português, pertencente à subregião do Alentejo Central.

Novo!!: Castelo de Évora e Distrito de Évora · Veja mais »

Ducado de Lencastre

As armas do Ducado de Lancaster O Ducado de Lancaster ou, mais raramente, de Lencastre é um dos dois ducados reais da Inglaterra (outro é o Ducado da Cornualha) e é a propriedade (herdada) pessoal do monarca (que é assim também Duque de Lencastre).

Novo!!: Castelo de Évora e Ducado de Lencastre · Veja mais »

Ebora

Templo romano de Évora Ebora é o nome pelo qual era conhecida na época romana a actual cidade portuguesa de Évora, no Alentejo.

Novo!!: Castelo de Évora e Ebora · Veja mais »

Eduardo III de Inglaterra

Eduardo III (Windsor, – Londres), conhecido como Eduardo de Windsor, foi o Rei da Inglaterra de 1327 até sua morte; ele é lembrado por seus sucessos militares e por restaurar a autoridade real depois do desastroso reinado de seu pai, Eduardo II.

Novo!!: Castelo de Évora e Eduardo III de Inglaterra · Veja mais »

Fernando I de Portugal

Fernando I (Coimbra, – Lisboa), apelidado de "o Formoso", "o Belo" e "o Inconstante", foi o Rei de Portugal e Algarve de 1367 até sua morte, o último monarca português da Casa de Borgonha.

Novo!!: Castelo de Évora e Fernando I de Portugal · Veja mais »

Fernão Lopes

Fernão Lopes (fl. 1418–1459) foi escrivão e cronista oficial do reino de Portugal e o 4.° guarda-mor da Torre do Tombo.

Novo!!: Castelo de Évora e Fernão Lopes · Veja mais »

Fosso

Castelo de Bodiam Um fosso (do latim "fossa"), em militar arquitectura é uma escavação profunda e regular, destinada a impedir ou dificultar o acesso do agressor à linha de defesa de uma fortificação.

Novo!!: Castelo de Évora e Fosso · Veja mais »

Geraldo sem Pavor

Geraldo Geraldes (século XII) foi uma personagem semilendária da história de Portugal à época das lutas da Reconquista.

Novo!!: Castelo de Évora e Geraldo sem Pavor · Veja mais »

Gonçalo Vasques de Azevedo

Gonçalo Vasques de Azevedo (c. 1332 - Batalha de Aljubarrota, 14 de Agosto de 1385), 1.º Senhor da Lourinhã, de Figueiró dos Vinhos e de Pedrógão Grande, Alcaide-Mor de Santarém e de Torres Novas.

Novo!!: Castelo de Évora e Gonçalo Vasques de Azevedo · Veja mais »

Guerra da Restauração

A Guerra de Restauração foi um conjunto de confrontos armados travados entre o reino de Portugal e Espanha, com excepção da Catalunha, no período compreendido entre 1640 e 1668.

Novo!!: Castelo de Évora e Guerra da Restauração · Veja mais »

Guerra Peninsular

A Guerra Peninsular (1807–1814) foi um conflito militar entre o Primeiro Império Francês e os seus aliados do Império Espanhol, contra a aliança do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda e do Reino de Portugal e Algarves pelo domínio da Península Ibérica durante as Guerras Napoleónicas.

Novo!!: Castelo de Évora e Guerra Peninsular · Veja mais »

Idade Média

p.

Novo!!: Castelo de Évora e Idade Média · Veja mais »

Imposto

Imposto (do latim imposìtu-, particípio passado de imponère: "impor", "pôr como obrigação") é a imposição de um encargo financeiro ou outro tributo sobre o contribuinte (pessoa física ou jurídica) por um estado ou o equivalente funcional de um estado a partir da ocorrência de um fato gerador, sendo calculado mediante a aplicação de uma alíquota a uma base de cálculo de forma que o não pagamento do mesmo acarreta irremediavelmente sanções civis e penais impostas à entidade ou indivíduo não pagador, sob forma de leis.

Novo!!: Castelo de Évora e Imposto · Veja mais »

Júlio César

Caio Júlio César (Caius ou Gaius Iulius Caesar ou IMP•C•IVLIVS•CÆSAR•DIVVS; 13 de julho de – 15 de março de) foi um patrício, líder militar e político romano.

Novo!!: Castelo de Évora e Júlio César · Veja mais »

João de Áustria

João de Áustria (Ratisbona, 24 de fevereiro de 1547 — Bouge, 1 de outubro de 1578) foi um líder militar que esteve a serviço de seu meio-irmão, Filipe II de Espanha.

Novo!!: Castelo de Évora e João de Áustria · Veja mais »

João I de Portugal

João I de Portugal (Lisboa, – Lisboa), conhecido como o Mestre de Avis e apelidado de "o de Boa Memória", foi o rei de Portugal e dos Algarves de 1385 até sua morte, sendo o primeiro monarca português da Casa de Avis.

Novo!!: Castelo de Évora e João I de Portugal · Veja mais »

Leonor Teles

Leonor Teles, cognominada a Aleivosa (Trás-os-Montes e Alto Douro, — Tordesilhas, 27 de abril de 1386), foi rainha de Portugal entre 1371 e 1383, pelo seu casamento com.

Novo!!: Castelo de Évora e Leonor Teles · Veja mais »

Lista de alcaides de Évora

Este anexo contêm uma lista de Alcaides-Mores de Évora.

Novo!!: Castelo de Évora e Lista de alcaides de Évora · Veja mais »

Louis Henri Loison

Louis Henri Loison Louis Henri Loison (16 de Maio de 1771 - 30 de Dezembro de 1816) foi um general francês, tendo participado na primeira invasão francesa, sob o comando de Junot.

Novo!!: Castelo de Évora e Louis Henri Loison · Veja mais »

Mármore

Mármore. Vênus de Milo. Mármore é uma rocha metamórfica originada de calcário exposto a altas temperaturas e pressão de baixa a moderada.

Novo!!: Castelo de Évora e Mármore · Veja mais »

Moeda

Moeda é o meio pelo qual são efetuadas as transações monetárias.

Novo!!: Castelo de Évora e Moeda · Veja mais »

Muralhas de Évora (da cerca romana e árabe)

As Muralhas de Évora (da cerca romana e árabe) ou Cerca velha localizam-se na freguesia da Sé e São Pedro, na cidade e concelho de Évora, distrito de mesmo nome, em Portugal.

Novo!!: Castelo de Évora e Muralhas de Évora (da cerca romana e árabe) · Veja mais »

Ordem de Calatrava

No ano de 1150, Afonso VII de Leão doou à Ordem dos Templários os domínios e o Castelo de Calatrava, no rio Guadiana, para os defenderem das arremetidas dos Mouros.

Novo!!: Castelo de Évora e Ordem de Calatrava · Veja mais »

Ordem de São Bento de Avis

A Ordem de São Bento de Avis (inicialmente chamada de Milícia de Évora ou Freires de Évora) é uma Ordem religiosa militar de cavaleiros portugueses que foi criada em Portugal, no século XII, para defender a cidade de Évora dos Mouros.

Novo!!: Castelo de Évora e Ordem de São Bento de Avis · Veja mais »

Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) - (acrônimo de United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization) é uma agência especializada das Nações Unidas (ONU) com sede em Paris, fundada em 4 de novembro de 1946 com o objetivo de contribuir para a paz e segurança no mundo mediante a educação, ciências naturais, ciências sociais/humanas e comunicações/informação.

Novo!!: Castelo de Évora e Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura · Veja mais »

Património Mundial

Logo do Património Mundial, ou ainda Património da Humanidade é uma região ou área (denominadas "sítios") que vem a ser considerado pela comunidade científica de inigualável e fundamental importância para a humanidade.

Novo!!: Castelo de Évora e Património Mundial · Veja mais »

Pedro I de Portugal

Pedro I (Coimbra, – Estremoz), apelidado de "o Justo" e "o Cruel", foi o Rei de Portugal e Algarve de 1357 até sua morte.

Novo!!: Castelo de Évora e Pedro I de Portugal · Veja mais »

Ponte

Ponte Golden Gate, uma das mais famosas do mundo. Ponte é uma construção que permite interligar ao mesmo nível pontos não acessíveis separados por rios, vales, ou outros obstáculos naturais ou artificiais.

Novo!!: Castelo de Évora e Ponte · Veja mais »

Porta

Porta Uma porta é geralmente entendida como uma abertura em um elemento de vedação arquitetônica, como uma parede, permitindo a passagem de pessoas de um ambiente para outro.

Novo!!: Castelo de Évora e Porta · Veja mais »

Porta de Aviz

A Porta de Aviz, também referida como Porta de Avis, localiza-se na freguesia de São Mamede, na cidade e distrito de Évora, em Portugal.

Novo!!: Castelo de Évora e Porta de Aviz · Veja mais »

Portugal

Portugal, oficialmente República Portuguesa, é um país soberano unitário localizado no sudoeste da Europa, cujo território se situa na zona ocidental da Península Ibérica e em arquipélagos no Atlântico Norte. O território português tem uma área total de, sendo delimitado a norte e leste por Espanha e a sul e oeste pelo oceano Atlântico, compreendendo uma parte continental e duas regiões autónomas: os arquipélagos dos Açores e da Madeira. Portugal é a nação mais a ocidente do continente europeu. O nome do país provém da sua segunda maior cidade, Porto, cujo nome latino-celta era Portus Cale. O território dentro das fronteiras atuais da República Portuguesa tem sido continuamente povoado desde os tempos pré-históricos: ocupado por celtas, como os galaicos e os lusitanos, foi integrado na República Romana e mais tarde colonizado por povos germânicos, como os suevos e os visigodos. No século VIII, as terras foram conquistadas pelos mouros. Durante a Reconquista cristã foi formado o Condado Portucalense,  estabelecido no século XI por Vímara Peres, um vassalo do rei das Astúrias. O condado tornou-se parte do Reino de León em 1097, e os condes de Portugal estabeleceram-se como governantes independentes do reino no século XII, após a batalha de São Mamede. Com o estabelecimento do Reino de Portugal em 1139, cuja independência foi reconhecida em 1143. Em 1297 foram definidas as fronteiras no tratado de Alcanizes, tornando Portugal no mais antigo Estado-nação da Europa. Nos séculos XV e XVI, como resultado de pioneirismo na Era dos Descobrimentos (ver: descobrimentos portugueses), Portugal expandiu a influência ocidental e estabeleceu um império que incluía possessões na África, Ásia, Oceânia e América do Sul, tornando-se a potência económica, política e militar mais importante de todo o mundo. O Império Português foi o primeiro império global da História e também o mais duradouro dos impérios coloniais europeus, abrangendo quase 600 anos de existência, desde a conquista de Ceuta em 1415, até à transferência de soberania de Macau para a China em 1999. No entanto, a importância internacional do país foi bastante reduzida durante o século XIX, especialmente após a independência do Brasil, a sua maior colónia. Com a Revolução de 1910, a monarquia terminou, tendo desde 1139 até 1910, 34 monarcas. A Primeira República Portuguesa foi muito instável, devido ao elevado parlamentarismo. O regime deu lugar à ditadura militar devido a um levantamento em 28 de maio de 1926. Em 1933, um novo regime autoritário, o Estado Novo, presidido por Salazar até 1968, geriu o país até 25 de abril de 1974. A democracia representativa foi instaurada após a Revolução dos Cravos, em 1974, que terminou a Guerra Colonial Portuguesa. As províncias ultramarinas de Portugal tornaram-se independentes, sendo as mais proeminentes Angola e Moçambique. Portugal é um país desenvolvido, com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) considerado como muito elevado. O país foi classificado na 19.ª posição em qualidade de vida (em 2005), tem um dos melhores sistemas de saúde do planeta e é, também, uma das nações mais globalizadas e pacíficas do mundo. É membro da Organização das Nações Unidas (ONU), da União Europeia (incluindo a Zona Euro e o Espaço Schengen), da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Portugal também participa em diversas missões de manutenção de paz das Nações Unidas.

Novo!!: Castelo de Évora e Portugal · Veja mais »

Pré-história

A pré-história corresponde ao período da história que antecede a invenção da escrita, desde o começo dos tempos históricos registrados até aproximadamente em É estudada pela antropologia, arqueologia e paleontologia.

Novo!!: Castelo de Évora e Pré-história · Veja mais »

Reconquista

Reconquista é o processo histórico em que os reinos cristãos da Península Ibérica procuraram dominar a região durante o período do Alandalus.

Novo!!: Castelo de Évora e Reconquista · Veja mais »

Reino de Castela

O Reino de Castela foi um dos antigos reinos da Península Ibérica formados durante a Reconquista.

Novo!!: Castelo de Évora e Reino de Castela · Veja mais »

Rio Tejo

O rio Tejo (em espanhol: Tajo) é o rio mais extenso da Península Ibérica.

Novo!!: Castelo de Évora e Rio Tejo · Veja mais »

Sancho I de Portugal

Sancho I (Coimbra, – Santarém), apelidado de Sancho, o Povoador, foi o Rei de Portugal de 1185 até sua morte.

Novo!!: Castelo de Évora e Sancho I de Portugal · Veja mais »

Sé Catedral de Évora

A Basílica Sé de Nossa Senhora da Assunção, mais conhecida por Catedral de Évora, ou simplesmente Sé de Évora, apesar de iniciada em 1186 e consagrada em 1204, esta catedral de granito só ficou pronta em 1250.

Novo!!: Castelo de Évora e Sé Catedral de Évora · Veja mais »

Século IV

+04.

Novo!!: Castelo de Évora e Século IV · Veja mais »

Século XVI

O Século XVI começou no calendário Juliano no ano 1501 e terminou no calendário Juliano e Gregoriano no ano 1600.

Novo!!: Castelo de Évora e Século XVI · Veja mais »

Sebastião I de Portugal

Sebastião (Lisboa, – Alcácer-Quibir), apelidado de "o Desejado" e "o Adormecido", foi o Rei de Portugal e Algarves de 1557 até sua morte.

Novo!!: Castelo de Évora e Sebastião I de Portugal · Veja mais »

Templo romano de Évora

O templo romano de Évora, erroneamente conhecido como Templo de Diana, está localizado na cidade de Évora, em Portugal; faz parte do centro histórico da cidade, o qual foi classificado como Patrimônio Mundial pela UNESCO.

Novo!!: Castelo de Évora e Templo romano de Évora · Veja mais »

Torre

A torre (do latim "turris"), em arquitectura e engenharia, é uma estrutura em que a altura é bastante superior à largura, apresentando uma demarcada verticalidade.

Novo!!: Castelo de Évora e Torre · Veja mais »

Visigodos

Os visigodos foram um de dois ramos em que se dividiram os godos, um povo germânico originário do leste europeu, sendo o outro os ostrogodos.

Novo!!: Castelo de Évora e Visigodos · Veja mais »

1159

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi D (53 semanas), teve início a uma quinta-feira e terminou também a uma quinta-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1159 · Veja mais »

1165

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi C (52 semanas), teve início a uma sexta-feira e terminou também a uma sexta-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1165 · Veja mais »

1181

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi D (53 semanas), teve início a uma quinta-feira e terminou também a uma quinta-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1181 · Veja mais »

1191

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi F (52 semanas), teve início a uma terça-feira e terminou também a uma terça-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1191 · Veja mais »

1340

---- 1340 (na numeração romana) foi um ano bissexto do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram B e A (52 semanas), teve início a um sábado e terminou a um domingo.

Novo!!: Castelo de Évora e 1340 · Veja mais »

1373

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XII do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi E (52 semanas), teve início a uma quarta-feira, terminou também a uma quarta-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1373 · Veja mais »

1382

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XIV do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi E (52 semanas), teve início a uma quarta-feira e terminou também a uma quarta-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1382 · Veja mais »

14 de abril

Sem descrição

Novo!!: Castelo de Évora e 14 de abril · Veja mais »

1445

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XV do Calendário Juliano, da Era de Cristo, a sua letra dominical foi C (52 semanas), teve início a uma sexta-feira e terminou também a uma sexta-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1445 · Veja mais »

1449

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XV do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi E (52 semanas), teve início a uma quarta-feira, terminou também a uma quarta-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1449 · Veja mais »

1571

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVI do Calendário Juliano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi G (52 semanas), teve início numa segunda-feira e terminou também numa segunda-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1571 · Veja mais »

1663

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XVII do Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi G (52 semanas), teve início numa segunda-feira e terminou também numa segunda-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1663 · Veja mais »

1845

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XIX do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi E (52 semanas), teve início a uma quarta-feira e terminou também a uma quarta-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1845 · Veja mais »

1880

---- (na numeração romana) foi um ano bissexto do século XIX do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e as suas letras dominicais foram D e C (53 semanas), teve início a uma quinta-feira e terminou a uma sexta-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1880 · Veja mais »

1922

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XX do actual Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi A (52 semanas), teve início a um domingo e terminou também a um domingo.

Novo!!: Castelo de Évora e 1922 · Veja mais »

1945

---- (na numeração romana) foi um ano comum do século XX do Calendário Gregoriano, da Era de Cristo, e a sua letra dominical foi G (52 semanas), teve início numa segunda-feira e terminou também numa segunda-feira.

Novo!!: Castelo de Évora e 1945 · Veja mais »

1986

Sem descrição

Novo!!: Castelo de Évora e 1986 · Veja mais »

1993

Sem descrição

Novo!!: Castelo de Évora e 1993 · Veja mais »

2005

* Foi designado como.

Novo!!: Castelo de Évora e 2005 · Veja mais »

24 de junho

Sem descrição

Novo!!: Castelo de Évora e 24 de junho · Veja mais »

4 de julho

Sem descrição

Novo!!: Castelo de Évora e 4 de julho · Veja mais »

Redireciona aqui:

Castelo de évora.

CessanteEntrada
Ei! Agora estamos em Facebook! »